A falta de moradia é problema para 464.881 famílias de Minas Gerais. O déficit habitacional aumentou 11,8 no Estado entre 2011 e 2012, mas diminuiu 1% se forem analisados os últimos cinco anos.
Os dados são da Nota Técnica Estimativas do Déficit Habitacional Brasileiro, divulgada na segunda-feira (25) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2007-2012.
A região metropolitana de Belo Horizonte responde por 27,91% do déficit habitacional de Minas, com um total de 129.737 domicílios faltantes em 2012. Nos cinco anos analisados, a carência de imóveis aumentou 10,4% na Grande BH.
No Brasil, os números mostram uma queda gradativa do déficit habitacional, que passou de 10% do total dos domicílios brasileiros em 2007 para 8,53% em 2012.
Segundo a nota do Ipea, ?a atualização do déficit habitacional brasileiro é um meio para que se possam realizar avaliações da política habitacional brasileira. Mas é importante lembrar que a produção habitacional de interesse social, ainda que intensa, não necessariamente terá impacto
imediato e direto na queda do déficit?, justificando que, apesar o aumento do investimento em políticas habitacionais ? a mais abrangente é o Minha Casa, Minha Vida ?, o déficit não tenha caído na mesma proporção.

print
Comentários