A reunião do Legislativo foi mais uma vez turbulenta. Na segunda-feira (25) após tomar conhecimento, na semana passada, do arquivamento do pedido de cassação movido pelo PMDB Formiga contra ele, o que ocorreu na quinta-feira (21) Mauro César/SDD fez uso da ?Tribuna do Povo? e falou sobre seu ex-partido e o colega Zezinho Gaiola que permanece no PMDB.
Mauro começou falando sobre Gaiola, afirmando que o tinha como um irmão. ?Em uma reunião recente, o Zezinho fez um discurso que deveríamos acabar com as picuinhas internas, mas o que me assustou é que, em seguida, ele saiu daqui com o senhor Erasmo e assinou o meu pedido de cassação, alegando à Justiça Eleitoral infidelidade partidária?.
O vereador do Solidariedade disse que estava amparado pela resolução 22.610 do TSE, que trata dos motivos em que um político pode mudar de partido sem apresentar explicações, dentre elas a migração para uma legenda recém-criada. ?Ele disse que sabia que não ia dar nada para mim, mas que foi obrigado a fazer. Mandaram ele fazer. Perguntei quem é que fez essa pressão e ele disse que foi a turma do Marco Sallum. Não estou aqui para atacá-lo. Ele não tinha legitimidade para assinar em nome do PMDB, pois o senhor havia feito a renúncia no dia 29 de outubro e constituiu advogada no dia 4 de novembro. Se o senhor não sabe, no artigo 299 do Código Penal isso é crime por falsidade ideológica, com pena de 1 a 5 anos de prisão. O senhor me lembrou a canção da sambista Bete Carvalho: ?Você pagou com traição a quem sempre lhe estendeu a mão??.
Mauro César disse ainda que existem dois PMDBs em Formiga ?O senhor faz parte do PMDB do mal, mas nós vencemos. Quero agradecer ao secretário-geral que assumiu o PMDB, Alexandre Teles Carvalho, de acordo com as normas estatutárias. Zezinho Gaiola não tinha legitimidade para representar o partido. Graças a Deus eu saí desse PMDB, vejo pelo retrovisor, ele ficando pra trás até sumir. Chega de falar que vão cassar vereadores, se tem alguém para ser cassado, são vocês?.
E continuou: ?o advogado constituído em Belo Horizonte contra mim, é o mesmo contra Arnaldo, Juarez Carvalho e Cid é o Ney Paolinelli de Castro, que foi contratado pela Prefeitura, que nós denunciamos aqui por receber R$180 mil, por ano, sem licitação. Lobista, capacho de lobista e prefeito corrupto não me derrubam?.
Na quinta-feira (21), o TRE, por meio do juiz Maurício Pinto Ferreira, determinou a extinção definitiva do processo: ação de Perda Cargo Eletivo por Desfiliação Partidária movida pelo PMDB em desfavor do vereador Mauro César Alves de Souza. Foi homologado o pedido de desistência formulado na petição de protocolo nº 317.736/2013.
Defesa de Zezinho Gaiola
Em sua defesa, o vereador Zezinho Gaiola explicou que preza a amizade de Mauro e que sempre alertou o colega para acabar com essa briga, pois isso não ia dar em nada. ?Você me colocou no PMDB e nem de política eu gosto, você sim, é carteirinha profissional na política. Você me colocou na vice-presidência do PMDB e eu não queria ficar quando você saiu. Você e seu irmão protocolaram a minha renúncia de vice, pois eu sabia que a bomba ia estourar na minha mão. O que fiz foi de cabeça erguida, tenho a minha consciência limpa. Eu tenho o protocolo do Cartório e a menina de lá falou pra ele que isso (o pedido de renúncia de Gaiola) não tinha força jurídica nenhuma, que não tinha perigo do Mauro ser cassado?.
O vereador do PMDB contou que o prefeito Moacir Ribeiro e o chefe de Gabinete, José Terra de Oliveira Júnior já haviam pedido para Zezinho assinar a renúncia dele. ?Você sabe que cheguei em você e pedi para bater um documento, que eu estava fora da vice-presidência. Você me colocou, agora você me tira. Ele fez o documento e eu assinei. Muitas pessoas disseram para eu não assinar pois o Mauro estava gravando certas coisas aqui na Câmara e isso era perigoso, mas eu disse que tinha respeito com você e vice-versa. Não fiz hora pensando em te prejudicar. Fui ao cartório para saber se não tinha perigo de cassação, por você se filiar em um partido novo. O que você está fazendo aqui, isso não vai me atrapalhar hora nenhuma, pois quem me conhece bem, quem não me conhece, vai me julgar, pois sou muito homem de assumir as coisas que eu faço. Você perdeu moral até com o Antônio Andrade. Você está no local que te interessa?, disse.

print
Comentários