Princípio ativo de antidepressivos como o Prazac, a fluoxetina vem sendo utilizada de forma inadequada em fórmulas para emagrecer. Segundo dados do Cebrid (Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas) que avaliou 39.782 receitas especiais em Santo André, na Grande São Paulo, 10.919 delas receitas continham esse princípio ativo.
Outro dado que chama a atenção é o grande número de receitas encontradas no levantamento contendo a fluoxetina. Pouco mais de um quarto das prescrições continham a substância, independentemente de ela estar associada a outras.
Em praticamente todas as prescrições manipuladas em farmácias, a fluoxetina estava associada a outras substâncias normalmente indicadas para induzir a anorexia e promover a perda de peso. As mais frequentes foram benzodiazepínicos (presentes em 62,5% das receitas) e anfetaminas (em 45,8% delas). As chamadas receitas especiais se referem às 175 substâncias de venda controlada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que ficam retidas nos estabelecimentos.
Nas receitas avaliadas, os pesquisadores encontraram associações de fluoxetina com, em média, de quatro a sete substâncias. Mas em um dos casos havia 22 componentes. Quase 80% das receitas eram destinadas a mulheres, segundo o estudo. Por agir no sistema nervoso central, especialistas informam que a fluoxetina não deve ser associada a outras drogas em fórmulas, podendo diminuir os reflexos ou causar crises psiquiátricas, se associada a anfetaminas e benzodiazepínicos.

print
Comentários