O fluxo total de veículos nas estradas pedagiadas do Brasil acumulou queda de 3,6% em 2016, segundo pesquisa da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

O fluxo de veículos leves recuou 2,8% no ano passado, enquanto o de pesados baixou 6,0%. Em dezembro, o fluxo total avançou 1,0% ante novembro, na série com ajuste sazonal. O fluxo de veículos leves aumentou 0,7%, enquanto o de pesados subiu 4,8%. Já na comparação com dezembro de 2015, o fluxo total caiu 1,7%, com retração de 1,3% nos leves e de 3,5% nos pesados.

“O menor desempenho do fluxo de veículos leves ao longo de 2016 está associado à intensificação do processo de deterioração do mercado de trabalho”, afirma Rafael Bacciotti, economista da Tendências Consultoria. “Por sua vez, o fluxo de veículos pesados fecha o segundo ano consecutivo de retração do indicador. Isso está ligado à perda de dinamismo da produção industrial”, ressalta.

Segundo as projeções de Bacciotti, o cenário prospectivo de lenta recuperação da atividade e do mercado de trabalho deve seguir limitando o desempenho do fluxo de veículos leves nas primeiras apurações de 2017, embora haja uma perspectiva favorável para o ano, em compasso com o cenário de estabilização da economia que se prevê.

IMPRIMIR

Fonte:

O Tempo Online