A Polícia Civil informou, na manhã desta sexta-feira (14), em Belo Horizonte, que 17 pessoas já prestaram depoimento no inquérito que investiga a queda do paredão em Capitólio, acidente que provocou dez mortes no último sábado (8).

De acordo com o delegado que preside as investigações, Marcos Pimenta, os trabalhos de apuração vão se pautar na ciência e, por isso, polícia tem buscado apoio de especialistas.

“O foco agora não é procurar culpados e, sim, respostas para que se evite, se for possível, que outras placas caiam”, disse. Ele afirmou que será investigado se houve alguma ação que provocou a aceleração da ruptura da rocha e, caso isso tenha ocorrido, ao fim do inquérito haverá indiciamento. Mas, para Pimenta, é cedo para apontar eventuais responsabilidades.

Deslizamento de pedra atinge embarcações nos cânions em Capitólio

De acordo com o delegado, a expectativa é que o laudo pericial seja concluído dentro de 30 a 40 dias, mas não há previsão para conclusão do inquérito. Segundo ele, não foi realizada análise sismológica do local, mas, se os peritos que estão em Capitólio indicarem necessidade, o estudo será feito.

Para a realização de análises das causas do acidente, segundo o delegado, a polícia entrou em contato com a Sociedade Brasileira de Geologia e também com professores da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), além de outros especialistas.

Fonte: g1

print
Comentários