source

Você já parou para pensar qual é a origem do Papai Noel e das lendas que envolvem o Natal? É justamente essa pergunta que o primeiro filme de animação da Netflix busca responder. Sendo uma produção para toda família, “Klaus” chega à plataforma de streaming nesta sexta-feira (15) levando uma bela mensagem para as crianças e questionamentos aos adultos.

Leia também: Além de “Bandidos na TV”: 10 séries sobre crimes que estão na Netflix

Rodrigo Santoro, Daniel Boaventura e Fernanda Vasconcellos são os dubladores de arrow-options
Divulgação/Netflix

Rodrigo Santoro, Daniel Boaventura e Fernanda Vasconcellos são os dubladores de “Klaus”


O filme narra a história de Jasper, dublado por Rodrigo Santoro, que é o pior estudante da academia postal. Cansado de tentar ajudar o filho, seu pai o manda para trabalhar em um correio abandonado na pequena e isolada Smeerensburg, uma cidade que os vizinhos vivem e pé de guerra e não se comunicam. Tudo muda quando ele conhece a professora Alva, com voz de Fernanda Vasconcellos, e o misterioso Klaus , dublado por Daniel Boaventura.

“A gente está falando de generosidade, altruísmo, a gente está falando de amor, de amizade, mas uma das coisas que mais me chamou atenção são as transformações que acontecem a partir dos encontros dos personagens”, comentou Rodrigo Santoro , que se encantou com o projeto logo que leu o roteiro. “O traço [do desenho] me chamou muita atenção, é algo mais artesanal, poético, meio nostálgico e muito diferente do que estamos acostumados a ver.”

Leia também: Brasil vira foco estratégico da Netflix que desafia Globoplay a crescer

Para Daniel Boaventura , um dos grandes desafios de dublar o personagem título da animação foi fazer a versão em português com humor e sem perder “o molho que a versão original tem”. “É um entretenimento, mas de forma afetuosa. Gosto de participar de projetos que as minhas filhas tenham interesse e ouso dizer que essa animação tem condições de virar um clássico por conta da atemporalidade e da técnica do desenho”, comentou o artista.

Desafios da dublagem

Cena de Klaus arrow-options
Divulgação/Netflix

Jasper é mandado pelo pai para uma cidade chamada Smeerensburg e tem a missão de fazer o correio funcionar

Essa não é a primeira vez que o trio principal faz uma dublagem, mas Fernanda Vasconcellos garantiu que esse trabalho teve desafios a mais: “Eu trabalho dando corpo aos personagens e, quando vamos dublar, esses movimentos e esse corpo já existem. Também é um desafio contar uma história que a gente já conhece, mas de um jeito diferente. Isso é genial porque parece que você está vendo pela primeira vez. É um roteiro que me emociona, que me fez refletir sobre possíveis intolerâncias”.

Quando foi convidado para ser a voz brasileira de Jasper, Rodrigo estava no meio de outro trabalho e, por isso, precisou fazer a dublagem em poucos dias. “Foi um desafio enorme tecnicamente falando porque eu acho que ele toma muito café expresso de manhã (risos). Ele fala muito rápido, muito rápido mesmo. Foi difícil, mas prazeroso porque o personagem é um prato cheio, ele se transforma, amadurece e é muito divertido, um humor bastante específico”, explicou.

Leia também: Cinco séries de terror para fazer uma maratona na Netflix

As expectativas para ” Klaus ” estão altas e o filme pode abrir caminho para que novas animações originais da Netflix sejam produzidas. Uma novidade que promete atrair novas pessoas para a plataforma de streaming é nos dias 15 e 16 de novembro o filme estará disponível para quem ainda não é assinante.

Fonte: IG GENTE
Imprimir