Depois de revelada a fragilidade do esquema de vigilância do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) vai participar do sistema de distribuição e armazenamento das provas do próximo fim de semana para evitar novas fraudes. Um megaesquema foi concluído nos últimos dias e deve ser aprovado nesta quarta-feira (2), pela direção da FNSP em conjunto com a alta cúpula dos ministérios da Justiça e da Educação. Depois disso, as provas devem seguir para as 1.826 cidades onde deve ser aplicada a avaliação em todo o país.
Os 4,5 milhões de candidatos começam a prova às 13h de sábado (5) e, depois de uma maratona de 180 questões divididas em dois dias, o exame será encerrado às 18h30 de domingo (6). Os alunos só podem deixar as salas depois de duas horas do início das provas. Trinta minutos depois o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga o gabarito. A previsão é que os resultados sejam enviados para o endereço dos estudantes até a segunda quinzena de janeiro.
No sábado, serão aplicadas duas provas de múltipla escolha (ciências da natureza e ciências humanas) com cinco alternativas cada questão. No domingo, o número de questões é mantido, mas os estudantes têm uma hora a mais para redigir a redação sobre um tema atual. Na prova que vazou seria cobrada a valorização do idoso.
Todos os inscritos devem ter recebido em casa o cartão de confirmação da inscrição até 25 de novembro. Caso o documento não tenha chegado, o candidato deve entrar em contato com o Programa Fala Brasil, pelo número gratuito, 0800-616161, ou acessar o site: http://enem.inep.gov.br/consulta.
O Enem é obrigatório para quem concorre a uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni), além de servir também para ingresso em 31 instituições federais de ensino superior e universidades federais. Em Minas, apenas a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) não vai aproveitar o teste neste ano.

Imprimir
Comentários