Depois de a Internet ter mudado a forma da pessoa comunicar, comercializar e interagir, novos aplicativos prometem facilitar a forma de locomoção remunerada das pessoas.

A Internet revolucionou o mundo e continua fazendo grandes mudanças. Hoje não se anda nas cidades sem encontrar alguém com um celular na mão ou utilizando um computador. Antes as pessoas compravam CD e DVD para escutarem músicas e verem filmes, agora acessam a Internet e estes produtos estão todos disponíveis, em muitas das vezes, de forma gratuita. As livrarias estão fechando, devido à concorrência das livrarias virtuais e dos livros eletrônicos. É que o sonho de poucos visionários se tornou realidade e hoje temos microcomputadores em todas as empresas e residências, além de todos os cidadãos terem celulares, ao ponto de no Brasil, por exemplo, ter mais celulares cadastrados do que o número de habitantes.

Os taxistas brasileiros, das grandes cidades, se veem à volta do aparecimento de diversos aplicativos para facilitar o acesso do consumidor aos serviços de transporte, podendo ser atendido pelo táxi mais próximo de onde estiver, basta acessar o aplicativo e solicitar um táxi.

Com esta nova mudança de hábitos, os taxistas, que antes ficavam em pontos de taxis das cidades esperando os clientes (rodoviárias, praças, ruas movimentadas, etc.), agora não precisam ter local físico certo para ficar, bastando apenas estarem informatizados, com celular e aplicativo funcionando.

O aplicativo mais famoso, que já chegou ao Brasil, é o Uber, disponibilizando uma plataforma para os usuários e motoristas cadastrados, ofertando logística de transporte remunerado de pessoas, prometendo revolucionar o ramo de transporte individual. Também tem outros aplicativos disponibilizando carona solidária, otimizando a interação de pessoas que moram em uma mesma região e que se deslocam rotineiramente para o mesmo local. Além destes, no mundo já tem aplicativos de compartilhamento de veículos, locando veículos nos horários em que fica sem uso, por exemplo, durante o horário de trabalho, no dia ou à noite, de uma pessoa.

Em São Paulo existe legislação, em fase de consulta, com proposta de as empresas responsáveis pela intermediação entre motoristas prestadores de serviço e usuários por meio de plataformas tecnológicas terem de ser cadastradas como Operadoras de Transporte Credenciadas (OTCs) e deverão adquirir créditos de quilômetros para operar. Esses créditos serão disponibilizados diretamente pela Prefeitura da cidade e terão o preço regulado de acordo com horários de utilização, área de atuação na cidade e distância percorrida. O motorista credenciado pela operadora terá que incluir seu celular no Mobile Device Management (MDM), para que o aparelho envie suas coordenadas a cada minuto, por exemplo.

A tendência é de revolução no serviço de transporte individual nas grandes cidades e os taxistas, classe trabalhadora que prestou, presta e prestará serviços ao povo brasileiro, vivem um momento de inquietação e insegurança, e os Sindicatos e Associações dos taxistas devem se mobilizar para orientar e preparar esses profissionais para terem acesso e facilidade na utilização das novas tecnologias.

print

Comentários