Córrego Fundo já conta com um Grupo de Tratamento Antitabagista. Organizado após alguns encontros, desde o dia 2 de outubro o grupo está fechado para serem iniciadas as novas etapas motivacionais e de tratamento.

São dez participantes, que participarão de encontros, exames e terapias alternativas com o objetivo de eliminar a dependência do cigarro, pela abstinência. As atividades ocorrerão por um ano. Inicialmente serão encontros semanais, e posteriormente, quinzenais e mensais.

As atividades desenvolvidas são de suporte e apoio aos pacientes, já que o processo envolve desafios e recaídas, que não devem ser motivos de interrupção do tratamento, explicou a secretária municipal de Saúde, Keli Silva.

Durante o processo de tratamento, os pacientes serão acompanhados pela médica da Unidade Básica de Saúde (UBS), Marina Andrade Nogueira Corrêa, as psicólogas Walquíria Resende de Oliveira Teixeira e Morgana Lima, a nutricionista Fernanda Mendonça, a enfermeira Leila Rocha Paim, a fonoaudióloga Elisa Rezende e a fisioterapeuta Marília Cristina da Costa.

A coordenadora do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF)e Psicóloga Walquíria Resende salienta que o tratamento em grupo possibilita que o paciente perceba que assim como ele, outras pessoas sentem e vivem algumas experiências com a dependência ao tabaco. “Além disso, é importante destacar que, ao ingressar no programa de tratamento do tabagismo, as gestões de diversas instâncias assumem o compromisso de organização e implantação das ações para o cuidado da pessoa tabagista. Este é um tratamento que inclui avaliação clínica, abordagem mínima ou intensiva, individual e em grupo e, se necessário, terapia medicamentosa juntamente com a abordagem intensiva”, explicou.

Também será ofertado aos pacientes a Auriculoterapia, medicamentos, adesivos e gomas de mascar, sendo que cada paciente seguirá um projeto terapêutico singular, baseado no Questionário de Fagerstrom, nas observações feitas nos encontros anteriores e na avaliação clínica, obtida na consulta com a médica da UBS.

Imprimir
Comentários