O governo federal, por meio do Ministério das Cidades, repassou para o município de Formiga R$234 mil. O valor será destinado para a implantação do projeto de trabalho social no âmbito do Programa Minha Casa, Minha Vida, no residencial Tino Pereira.
Para que esse repasse fosse concretizado, o projeto de lei 179/2014 passou pelo crivo dos vereadores, durante a reunião desta semana.
Porém, ninguém sabe em que, especificamente, a verba será aplicada a não ser que sua utilização estará sob a responsabilidade da Secretaria de Desenvolvimento Humano já que deverá atender a área social (assim mesmo, generalizadamente).
Mais uma vez, os vereadores falaram sobre a necessidade de instalação de uma creche, um Posto de Saúde e um Posto Policial na região entre os bairros Ércio Rocha, Vila Nova das Formigas, Tino Pereira e Geraldo Veloso, mas, a julgar pelo valor agora aprovado, fica a dúvida: qual destas urgentes e inadiáveis necessidades será atendida?
A secretária da pasta, Mariluce Pimentel, ouvida pela reportagem se limitou a nos pedir que entrássemos em contato com a Secretaria de Comunicação, a única apta a falar sobre o assunto.
Em um primeiro momento, chegou apenas a informação de que a verba existe mesmo e que, futuramente, quando as residências, objeto do financiamento que viabilizou o projeto – (Minha Casa Minha Vida) estiverem destinadas (ocupadas), será feito um levantamento das prioridades sociais para que então se defina a aplicação dos recursos.
Ficam as dúvidas:
1 – se até o valor já está definido, como isto ocorre lá na área federal, sem que antes exista um projeto ou no mínimo o esboço de algo que permita chegar-se a um valor assim tão exato?
2 ? Em que se basearam os ilustres vereadores para aprovarem ? por unanimidade dos presentes, o mesmo?
Só para relembrá-los: não faz muito tempo, esta mesma Câmara aprovou projeto no valor de R$ 1.024.190,00 ? para a construção de uma creche no bairro Geraldo Veloso. Portanto, valor 4,5 vezes superior ao que agora foi aprovado e que se destina, a quê mesmo?
Novamente, em contato com a Secretaria de Comunicação, para saber mais detalhes de como essa verba será investida, a pasta enviou ao jornal a seguinte resposta:
?A definição exata dos serviços que serão executados no residencial dependerá da realização de pesquisa no local. Essa pesquisa apontará as demandas da comunidade e será feita depois que os futuros moradores já estiverem instalados no residencial. No momento, a Secretaria de Desenvolvimento Humano está realizando os preparativos para que seja feita a inscrição e a seleção dos beneficiários com as 300 casas populares que estão sendo construídas?.

Imprimir
Comentários