Da Redação 

O formiguense Eduardo Damasceno foi considerado pela revista Galileu, da Editora Globo, um dos 13 melhores quadrinistas do país.

Eduardo faz dupla com o belorizontino Luis Felipe Garrocho. Os dois começaram a trabalhar juntos no blog Quadrinhos Rasos, que adaptava letras de músicas em quadrinhos. A primeira história em quadrinhos (HQ) da dupla foi “Achados e Perdidos”, o primeiro quadrinho brasileiro financiado via crowdfunding (ou financiamento pela multidão, em tradução literal). O trabalho seguinte foi o HQ “Cosmonauta Cosmo”.

Devido ao bom trabalho, foram convidados a fazer “Bidu – Caminhos”, para a série Graphic MSP, adaptando o primeiro personagem de Maurício de Sousa: o cãozinho Bidu. O trabalho mais recente de Eduardo Damasceno e Garrocho, “Quiral”, conta a história de uma menina e um capitão, que mesmo separados por décadas, compartilham a angústia de tentar corresponder as expectativas impostas pela sociedade.

O formiguense Eduardo Damasceno, é filho do advogado Antônio Damasceno e da professora Dagmar Fátima de Lima Damasceno, além de quadrinista, é ilustrador, editor, diretor de arte e assistente de coordenação do Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte (FIQ). É Formado em Produção Editorial e trabalha em Belo Horizonte.

Segundo o secretário de Cultura, Aluísio Veloso, a pasta está articulando ações para realizar uma exposição de Eduardo Damasceno em Formiga.

A lista da revista Galileu conta ainda com nomes como Bianca Pinheiro; Carol Rossetti, Cristina Eiko e Paulo Crumbim; Danilo Beyruth; Fábio Moon e Gabriel Bá; Felipe Nunes; Gustavo Duarte; Lu e Vitor Cafaggi; Marcello Quintanilha; Marcelo D’Salete; Pedro Cobiaco e Shiko

Quadrinista

Quadrinista é o profissional que desenha e/ou escreve histórias em quadrinhos (HQ). Desde 2010, o cenário de quadrinhos brasileiro tem se desenvolvido rapidamente, em quantidade e qualidade do material publicado. Para se ter uma ideia, a edição de 2015 do Festival Internacional dos Quadrinhos (FIQ), que acontece a cada dois anos, em Belo Horizonte, contou com o lançamento de mais de 250 obras feitas por brasileiros.

 

Fonte: Revista Galileu ||

Imprimir

Comentários