De todos os desdobramentos do descontentamento de parte da população com a solenidade realizada na sexta-feira (19) pela Câmara Municipal, nada foi tão polêmico e vergonhoso quanto o desentendimento envolvendo o prefeito de Formiga Moacir Ribeiro e o fotógrafo freelance Paulo Pacheco, que cobria o evento pelo portal Últimas Notícias e jornal Nova Imprensa.

Segundo informações da Polícia Militar, as agressões ocorreram quando o Prefeito chegava ao local da festa (Amarillis Hall), momento em que Paulo solicitou autorização para entrar no local com Mário Murari que faria a entrevista, o que foi permitido. “Quando eu avisei que estava gravando, o Prefeito estava descendo do carro e já passou a me acertar com o paletó dele. Um dos botões bateu no meu olho e  depois na minha testa, me ferindo. Depois ele passou a me agredir com socos e pontapés. O que fiz foi me defender e evitar a quebra da minha câmera”, comentou o fotógrafo que no momento da confusão segurava seu equipamento fotográfico que, entre corpo da câmera, lente e flash pesa em torno de 2 kg.

“Eu estava trabalhando e com as mãos ocupadas, não ia agredir ninguém. Estamos agora, tomando as devidas providências na Justiça”, disse o fotógrafo Paulo César Pacheco.

Foram registrados boletins de ocorrência por ambas as partes; já o fotógrafo passou por exame de corpo de delito devido aos ferimentos na testa e em uma das mãos.

Ao G1, em entrevista, Moacir se restringiu a dizer que agiu em defesa própria e não voltou a falar sobre o assunto.

“Eu sou um homem pacífico. Nunca me envolvi nesse tipo de situação, nem mesmo em bate-bocas. Revidei por causa do stress do momento e por instinto de defesa, mas não fui lá para isso, estava cumprindo com o meu dever”, encerrou Paulo Pacheco.

O jornal Nova Imprensa/portal Últimas Notícias repudia toda e qualquer forma de agressão, especialmente contra membros da imprensa, em especial, quando  no exercício de sua atividade profissional.

 

 

Lorene Pedrosa

print
Comentários