O ministro do Interior da França, Christophe Castaner, anunciou nesta quarta-feira (12) que o governo decidiu reforçar seu nível de alerta antiterrorista após um atirador atacar um mercado de Natal em Estrasburgo.

Dias pessoas morreram e 14 ficaram feridas depois que um atirador abriu fogo em um mercado de Natal, na noite dessa terça-feira (11), no centro de Estrasburgo

Castaner explicou que atingiu um nível de “urgência por atentado” – o mais alto -, o que implica controle reforçado nas fronteiras, um aumento na segurança dos mercados de Natal e uma mobilização ainda maior do dispositivo antiterrorista em todo o território.

Até então, o país estava em alerta com um nível de segurança reforçado, que o país enfrenta desde os ataques de 2015, que deixaram mais de 130 mortos em Paris e região.

Os colégios funcionarão normalmente, embora o ministro tenha ressaltado que os pais, se desejarem, podem deixar seus filhos em casa.

Momentos antes, o prefeito de Estrasburgo, Roland Ries, tinha afirmado que as aulas das creches e ensino fundamental estariam suspensas no período da manhã, mas os centros de ensino estão funcionando normalmente.

Atirador foragido

 O suspeito, que ficou ferido ao trocar tiros com a polícia durante a fuga, segue foragido. Nas buscas, foram mobilizados 350 policiais e gendarmes, apoiados por dois helicópteros e soldados da operação militar de vigilância antiterrorista.

Ele já foi identificado pelas autoridades francesas. A imprensa local afirma que se trata de um homem de 29 anos, nascido em Estrasburgo, e que já era conhecido dos serviços de inteligência. Segundo o jornal “Le Figaro”, seu nome é Chérif C.

O suspeito já foi condenado na França e Alemanha por crimes comuns. Na Alemanha, ele foi preso por roubo entre 2016 e 2017, quando foi deportado para a França. Ele era monitorado pelas autoridades francesas por radicalização religiosa, mas, até o momento, a motivação terrorista do ataque ainda não está comprovada.

Nesta quarta, o ministro do interior, Laurent Nuñez, afirmou à rádio France Inter que até o momento não havia sinais de que de que ele iria agir. Na manhã de terça, a polícia já tinha feito uma busca em sua casa por conta de uma investigação sobre uma tentativa de homicídio. A polícia trabalha com a hipótese de que ele poderia ter feito o ataque em uma reação a essa busca.

 

 

Fonte: G1||

print

Comentários