Um funcionário dos Correios foi preso na quinta-feira (23) em Montezuma no norte de Minas Gerais, acusado de violar mercadorias e revender os produtos que trafegavam pelo sistema postal. Celulares eram os principais produtos furtados, mas a polícia afirmou também ter localizado televisores e um notebook, que teriam sido comercializados a moradores do município.

O suspeito, de 28 anos, foi preso com dois celulares sem nota fiscal e confessou a autoria do crime. Além dele, outras duas pessoas que teriam adquirido os produtos foram conduzidas à delegacia e autuadas por receptação sendo liberadas na sequência.

A polícia de Montezuma chegou ao suspeito após rastrear um telefone celular que deveria ser entregue na cidade de Arinos, mas acabou extraviado. As autoridades localizaram o aparelho com um jovem de 22 anos, que disse tê-lo obtido com o acusado em caráter de testes. No momento em que foi abordado, ele disse estar indo voluntariamente à delegacia para entregar o smartphone, pois havia decidido não finalizar a compra por suspeitar do valor cobrado, bem abaixo do mercado.

Em nota, os Correios informaram já estarem realizando uma investigação interna para apurar o caso, que pode levar à demissão do suspeito. A estatal disse que a conduta dele não condiz com as normas da empresa nem traduz o comportamento de seu quadro de funcionários. O acusado permanece preso, autuado por receptação majorada, quando o furto de materiais acontece dentro de unidades de serviço público ou envolvendo artigos pertencentes à União. Ele está sujeito a penas de três a oito anos de prisão, além de multa.

Outros casos

Na semana passada viralizou na internet o vídeo de uma funcionária dos Correios rasgando correspondências no meio da rua. O caso ocorreu em Goiânia/GO.

Após o compartilhamento massivo da postagem, os Correios abriram uma investigação e identificaram a funcionária, afirmando que tomará  as devidas providências.

 

Fonte: Portal Canal Tech||

Imprimir

Comentários