Funcionários da Cemig e líderes sindicais se reuniram na frente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para realização de ato público contra os acidentes de trabalho e pelo fim da terceirização na empresa.
De acordo com o Sindicato dos Eletricitários de Minas Gerais (Sindieletro) a transferência de atividades de alto risco para as empreiteiras e as condições de trabalho oferecidas fazem com que a Cemig se destaque no ranking nacional de acidente no setor elétrico, com uma morte a cada 45 dias.
Ainda conforme os sindicato, dados da Fundação Coge, que reúne 67 empresas do setor de energia, mostraram que em 2009 morreram 13 vezes mais trabalhadores de empreiteiras do que trabalhadores próprios das empresas do setor elétrico.
Na manhã de segunda-feira (21), um funcionário de 26 anos morreu durante um trabalho de reposição de poste na BR-365, em Uberlândia.

Imprimir
Comentários