Fim da linha. O Atlético empatou com o Nacional de Medellín por 1 a 1 nesta quinta-feira, no Independência, e deu adeus ao sonho do bicampeonato da Copa Libertadores. A esperança esteve viva até os 42 minutos da etapa final, quando os colombianos, no contra-ataque, chegaram ao empate. Nas quartas de final, o Nacional vai enfrentar o Defensor do Uruguai.

O Jogo
Não foi por falta de raça. Em campo, um novo Galo em 2014. Uma postura agressiva, com intensa marcação desde a saída de bola colombiana. De Ronaldinho a Otamendin, todos lutaram pela posse de bola. A apatia deu lugar à vibração.

Mas faltou tranquilidade com a posse de bola. As chances de gol foram poucas. Em uma delas, o Atlético abriu o placar, aos 20 minutos. Jô fez boa jogada pela direita, foi na linha de fundo e cruzou. Diego Tardelli mandou na trave. A defesa tirou da área, mas Emerson Conceição recuperou e a bola ficou com Fernandinho. O atacante cortou a marcação e bateu forte da entrada da área: 1 a 0.

Apesar do sufoco, o Nacional teve sua chance. Aos 33 minutos, a bola sobrou para Valencia. De frente para o gol, ele pegou de primeira. A bola saiu à esquerda do gol de Victor.

Na etapa final, cada minuto que passou significou um aumento na carga dramática do jogo. O Atlético passou a correr contra o tempo. A entrega seguiu alta. As oportunidades claras continuaram raras.

Aos 24 minutos, Tardelli achou Jô livre na área. O atacante não dominou a bola e bateu cruzado. Ninguém completou.

Quatro minutos depois, momento de tensão no Independência. Cárdenas recebeu sozinho no ataque. Da entrada da área, bateu. São Victor fez uma defesa milagrosa.

O Atlético foi para o tudo ou nada. Jô e Guilherme tiveram chance, mas finalizaram mal. Aos 39 minutos, Ronaldinho também teve sua oportunidade. Chutou da entrada da área. Armani defendeu.

O sonho acabou aos 42 minutos. No contra-ataque, o Nacional chegou ao ataque. Após bola cruzada da esquerda por Cardona, Victor rebateu e Duque, impedido, completou para o gol: 1 a 1.

Imprimir
Comentários