O Atlético detinha apenas 35 pontos e havia perdido em casa para a Chapecoense, sob protestos e vaias da torcida no Mineirão. Esta era a realidade alvinegra antes do duelo com o Fortaleza, pela 30ª rodada do Brasileirão de 2019 – o Galo encerrou sua participação naquele campeonato em 13º lugar.

Na edição 2020 do torneio também há críticas por parte da Massa, irritada com vários tropeços do time. Mas, apesar da impaciência – justificável, claro -, o cenário é bem diferente do vivido pelo clube no Nacional passado (assim como as cobranças também ganharam outro teor). A briga agora é pelo título, e a equipe mineira, comandada por Jorge Sampaoli, vai para a 30ª jornada com chances de ser vice-líder e aumentar as possibilidades de ser campeão.

Com 50 pontos – 15 a mais que os obtidos até então na competição em 2019; sem contar que o Alvinegro ainda tem um jogo a menos – e em terceiro lugar, o Galo encara o Atlético-GO, neste domingo (17), às 18h15, no Mineirão.

Na melhor das hipóteses, ou seja, se ganhar e contar com derrotas de São Paulo e Internacional para Athletico-PR e Fortaleza, respectivamente, toma a posto do Colorado e fica a três pontos do Tricolor.

Por outro lado, um revés ou mesmo um empate pode custar ao Atlético uma posição, em caso de um triunfo do Flamengo, quinto colocado, com 49 pontos, em cima do Goiás, na segunda-feira (18).

O confronto deste domingo se torna fundamental também por conta da sequência de jogos. Após enfrentar o Atlético-GO, o Galo terá pela frente dois duelos consecutivos fora de casa, ante Grêmio (20/1) e Vasco (23/1), em que os mineiros também vão precisar vencer se quiserem se manter fortes na luta pelo bicampeonato.

Fonte: Hoje em Dia

Imprimir
Comentários