Comprar o primeiro carro zero é considerado um grande sonho para muitos. Contudo, para que o sonho não se transforme em um pesadelo, é preciso lembrar que, junto com a realização do sonho, vêm os gastos com manutenção do veículo. Por isso, o velho ditado ?o carro é uma segunda família? deve ser considerado ao pé da letra.
Em geral, não basta só desembolsar o dinheiro para comprá-lo, a despesa com o veículo novo ou usado começa antes da compra, com as aulas na auto-escola. Daí para frente, a lista de gastos cresce bastante: seguros, combustíveis, estacionamentos, revisões, peças, entre outros. De acordo com estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), nos últimos 12 meses até fevereiro de 2010, os gastos com veículos registraram alta de 5,03%, superando a inflação medida pelo IPC-M da FGV, que ficou em 4,72%, no mesmo período.
Este foi o maior aumento médio dos últimos três anos. Entre os destaques, vale citar os aumentos acumulados para: álcool combustível (29,48%), seguro facultativo (14,34%) e lavagem e lubrificação (10,93%). Em média, a compra e a manutenção do veículo comprometem 7% do orçamento familiar. Este comprometimento pode variar bastante dependendo do número de veículos que a família tem e de outros aspectos como distância percorrida por dia e hábitos de dirigir.
Por isso, é sempre bom, ao planejar a compra de um veículo, lembrar de levar em conta ao menos algumas despesas, como manutenção e combustível, além dos impostos, pois o preço do veículo pode caber no seu orçamento, mas será que haverá recursos para mantê-lo?

Imprimir
Comentários