A contratação de trabalhadores com carteira assinada bateu novo recorde em março e no primeiro trimestre do ano. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, foram abertas 206.556 vagas em março, o que representa um aumento de 41% em relação ao mesmo mês do ano passado.
Os dados do Caged mostram ainda que nos três primeiros meses do ano foram gerados 554.440 novos postos de trabalho, um aumento de 39% em relação ao primeiro trimestre de 2007, quando foram abertas 399 mil vagas (recorde anterior).
Assim, trata- se do melhor mês e do melhor primeiro trimestre da série histórica que teve início em 1992.
BOMBOU Esse primeiro trimestre, como dizem meus filhos, bombou, afirmou o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, na divulgação mensal do relatório. Para o ano de 2008 fechado, o ministro Lupi manteve a previsão de criação de 1,8 milhão de postos de trabalho com carteira assinada.
Vai ser novo recorde, apesar da taxa de juros, disse ele em referência à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de elevar os juros de 11,25% para 11,75% ao ano. Em 2007, recorde para um ano fechado, foram criados 1,61 milhão de empregos formais.
SETORES No mês passado, o setor da economia que mais gerou vagas foi o de serviços, com a criação de 89.072 novos postos. Em seguida vem a indústria de transformação, com 40.389 postos.
A construção civil continua acompanhando a evolução do último ano. Em março, houve a geração de 33.437 vagas, com crescimento de 2,09% – a maior alta, que é três vezes superior à taxa média nacional do período.
A agropecuária gerou 15.442 empregos. Entre as regiões do país, o Sudeste foi a que teve maior geração de empregos: 147.137 postos, 90.582 só em São Paulo. O Sul registrou 49.463 novos postos, o Centro-Oeste, 22.369 e a região Norte, 2.220. O Nordeste foi a única região com queda.

Imprimir