O Twitter transformou-se no principal objeto de desejo dos investidores interessados no mercado de tecnologia. Conforme reportagem do Wall Street Journal, em conversas com potenciais compradores, entre eles os gigantes Google e Facebook, teria-se chegado a um valor de venda para o microblog entre US$ 8 bilhões e US$ 10 bilhões. Por enquanto, contudo, as negociações não avançaram.
Desde que foi criado, em 2006, o Twitter tornou-se um sucesso. Atualmente, o mibroblog, que permite mensagens de até 140 caracteres, conta com mais de 200 milhões de usuários registrados. Especula-se que o valor arrecadado com publicidade pela empresa no ano passado tenha alcançado US$ 45 milhões, com potencial para crescer a US$ 150 milhões este ano. Os gastos da companhia, contudo, também foram elevados, devido a contratações de profissionais e aos investimentos em servidores físicos para suportar a crescente demanda por tráfego de dados.
Publicidade
O grande potencial do Twitter consiste em encontrar um jeito para transformar as duas centenas de milhões de usuários em ganhos financeiros para a empresa. A publicidade só foi introduzida no microblog em 2010 e tem como carro-chefe os tópicos promovidos, que aparecem na mesma janela dos assuntos mais comentados do momento. Há ainda publicidade em tuites e contas promovidas. Google, Facebook e Twitter não se pronunciaram sobre a suposta negociação.
Em dezembro do ano passado, o valor de mercado do Twitter havia alcançado US$ 3,7 bilhões, após o fundo Kleiner Perkins Caufield & Byers injetar US$ 200 milhões em financiamento de risco para a rede social. Apesar das altas avaliações de mercado, os controladores do Twitter não demonstram, até o momento, interesse em vender a empresa. Os crescentes investimentos em infraestrutura e contratação de engenheiros denotam o propósito de manter a expansão da companhia, que, segundo analistas, pode crescer para um valor de mercado de até US$ 100 bilhões a médio ou longo prazo.
Licitação para satélites
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai abrir licitação para quatro posições de satélites. O edital foi colocado ontem em consulta pública. O órgão pretende fazer o lançamento de até quatro satélites, que poderão ser utilizados em serviços de telefonia, transmissão de dados e sinal de televisão. De acordo com a Anatel, os novos equipamentos vão colaborar com as futuras demandas brasileiras em telecomunicações, principalmente em eventos como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. O vencedor da licitação poderá utilizar o espaço em órbita por 15 anos, podendo o contrato ser renovado uma vez.

print
Comentários