O governador Aécio Neves determinou ao secretário de Estado de Defesa Social, Maurício Campos, nesta terça-feira (23), que acompanhe pessoalmente as investigações feitas pelo Ministério Público Federal (MPF) que colocam duas cooperativas instaladas em Minas Gerais sob suspeita de adulterar o leite consumido pela população. A Polícia Militar de Minas Gerais participou da operação que levou à prisão, na última segunda-feira, 27 pessoas envolvidas na suposta fraude. Segundo o governador, as forças de segurança do Estado continuarão colaborando com a operação desencadeada pela Polícia Federal, até que todo o caso esteja esclarecido.
?Eu determinei ao secretário Maurício Campos que pessoalmente acompanhe as investigações, coloque toda a nossa equipe da Polícia Civil e mais uma vez, a Polícia Militar, que já participou da operação e que teve como base o Batalhão da Polícia Militar de Uberaba, para que nós possamos diluir quaisquer dúvidas que haja, seja em relação a essas cooperativas ou eventualmente a outras?, afirmou o governador, em entrevista, durante abertura da 21ª Superminas, em Belo Horizonte.

Rigor

Aécio Neves defendeu punição rigorosa para os envolvidos, caso seja comprovado que houve crime. As investigações apontam que a Cooperativa dos Produtores de Leite do Vale do Rio Grande (Coopervale), em Uberaba, no Triângulo Mineiro, e a Cooperativa Agropecuária do Sudoeste Mineiro (Casmil), em Passos, no Sul do Estado, são suspeitas de acrescentar soda cáustica (hidróxido de sódio) e água oxigenada (peróxido de hidrogênio) ao leite. As substâncias, usadas fora de parâmetros indicados pelas autoridades sanitárias e de saúde, podem ter efeito cancerígeno.
?O Estado, por determinação pessoal minha, vai acompanhar diariamente essas investigações e, se for provado dolo, se comprovada má fé, se comprovado crime, é preciso que a punição seja exemplar?, disse Aécio Neves.
O governador ressaltou a importância econômica da produção do leite para Minas Gerais e garantiu que o Estado também irá investigar se houve fraude do ponto de vista fiscal.
?Não vamos nos antecipar, mas eu quero dizer que o Estado está absolutamente atento até porque é preciso que nós saibamos se houve também, do ponto de vista estadual, algum dolo, seja em relação à questão fiscal, enfim, algum tipo de crime estadual para o qual devamos estar atentos. A produção de leite é uma das principais atividades econômicas do Estado de Minas Gerais. Não podemos ficar sob essa marca da suspeição?, advertiu Aécio Neves.

Imprimir
Comentários