O governador Antonio Anastasia/PSDB e o vice-governador Alberto Pinto Coelho visitam, nesta quarta-feira (4), cidades da Zona da Mata atingidas pelas chuvas dos últimos dias. O governador irá a Ubá, Guidoval, Dona Euzébia e Muriáe. O vice-governador visitará Ubá, Visconde do Rio Branco e Cataguases.
Nesta terça-feira, o governador e o vice se reuniram com secretários de Estado, comandantes da Defesa Civil, Polícia e Bombeiros Militares, técnicos e presidentes de autarquias e empresas estatais para uma avaliação dos estragos causados pelas últimas chuvas em Minas.
Anastasia determinou que todas às áreas do governo priorizem a ajuda à população atingida. Estamos dando prioridade, e tenho repetido à exaustão, que o objetivo de sempre é evitar as perdas humanas, através do trabalho de prevenção, da identificação das áreas de risco, evitando os desmoronamentos. Com relação à assistência, tomamos as medidas, junto com a Secretaria de Saúde, a Copasa, a Cemig e os órgãos da Secretaria de Transportes e Obras Públicas, para dar toda atenção àquelas cidades que estão mais prejudicadas, destacou Anastasia.
O governador afirmou que está em contato permanente com os prefeitos municipais e com órgãos do governo federal para que seja feito um trabalho conjunto de atendimento às populações dos municípios mais afetados.
Anastasia também entrou em contato com o Ministério dos Transportes para solicitar uma atenção especial para as rodovias federais que cruzam o Estado.
O governador lembrou ainda que a assistência aos municípios prejudicados pelas chuvas será completa. Não existe restrição financeira, nem orçamentária para dar assistência às pessoas que são vítimas de calamidade, de situações de gravidade e de risco. Os recursos financeiros existem e são necessários nesses momentos, afirmou.
Situação do Estado
Últimos dados da Coordenadoria de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec), que vem trabalhando para atender às vítimas, apontam que, até esta terça-feira, foram registrados sete óbitos em Minas Gerais em decorrência das chuvas. Uma pessoa está desaparecida em Santo Antônio do Rio Abaixo. O número de feridos soma 32 em todo o Estado e os desabrigados chegam a 404. Foram destruídas 84 casas e outras 2.420 foram danificadas.
Até o momento, 108 municípios foram afetados pelas chuvas, sendo que 52 decretaram situação de emergência. A Cedec já fez a doação de 70,5 toneladas de alimentos, 4.090 colchões, 2.620 cobertores, 9.160 telhas, 2.850 kits de produtos de higiene pessoal e 830 kits de limpeza, além de 87 rolos de lonas e 160 sacos com roupas.
Foram encaminhados neste período chuvoso, pela Cedec, 12 avisos meteorológicos para todas as regiões. Os envios são feitos via e-mails e SMS para celulares cadastrados dos prefeitos, coordenadores municipais de defesa civil, integrantes da Polícia Militar, Bombeiros, além de órgãos de imprensa. A fonte dos avisos meteorológicos é o Instituto Minas Tempo.
Atualmente, há 13 depósitos avançados estruturados para armazenar mantimentos e demais doações, espalhados por todas as regiões de Minas. Neste período chuvoso, 21 equipes de transporte de ajuda humanitária foram deslocadas para o abastecimento dos depósitos avançados no interior e outras 17 equipes de prevenção e resposta a desastres foram deslocadas para municípios de diversas regiões.
Nós fizemos um trabalho ao longo do ano com a Escola da Defesa Civil, buscando fortalecer as defesas civis municipais. São pessoas que passaram a se preocupar e ter o tema na agenda do município. Não é só o coordenador, o trabalho é integrado dentro do município com todas as áreas das prefeituras. Temos que preservar o bem maior nosso, que é a vida. As pessoas que moram próximo a encostas precisam estar atentas. As pessoas que residem às margens de rios e córregos precisam ter atenção redobrada, porque a água chega em um volume muito grande e de forma muito rápida. Temos que ter essa preocupação, lembrou o coordenador da Defesa Civil Estadual, Coronel PM Luis Carlos Dias Martins.
Participaram da reunião representantes das secretarias de Transportes e Obras Públicas, Desenvolvimento Social, Saúde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, do Gabinete Militar, Defesa Civil, Copasa, Cemig, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Escritório de Prioridades Estratégicas

print
Comentários