O rastro de destruição deixado pelas chuvas que assolaram Minas Gerais nas últimas semanas causou um prejuízo de pelo menos R$ 250 milhões ao Estado. Essa é a estimativa apresentada nesta segunda-feira (17) pelo governador Antonio Augusto Anastasia, que se reuniu, durante a manhã, com representantes da força-tarefa formada para enfrentar os problemas causados pelo mau tempo.
Anastasia revelou que irá enviar um ofício ao governo federal solicitando o repasse da verba para repor os prejuízos. Do total de R$ 250 milhões, pelo menos R$ 100 milhões seriam usados em obras de reparação das rodovias danificadas pelas tempestades. O restante será aplicado em obras de infraestrutura solicitadas pelos municípios que decretaram situação de emergência.
O secretário de Estado de Transporte e Obras Públicas, Carlos Melles, declarou, entretanto, que as obras serão realizadas mesmo que os recursos não sejam repassados pela União. Temos 105 pontos de intervenção em estradas importantes para o transporte da produção e de estudantes da zona rural, que voltam às aulas em breve. Pelo menos cem pontes e bueiros caíram. Temos um estoque para 200 pontes, mas precisamos que os prefeitos encaminhem os projetos das obras, disse.
O governador revelou ter conversado na sexta-feira passada com a presidente Dilma Rousseff. Ela teria oferecido auxílio para amenizar os problemas causados pelas chuvas em Minas. Solicitei apoio do Exército para restabelecer as comunicações em Alagoa, afirmou, referindo-se à cidade do Sul de Minas que estava ilhada até o último fim de semana.
Empresários de cidades em situação de emergência também deverão receber recursos do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). O Executivo deve editar um decreto regulamentando o financiamento ainda nesta semana.
Até ontem, 84 municípios haviam decretado situação de emergência em Minas. Segundo a Defesa Civil, o Estado homologou 33 pedidos e arquivou 25, por considerar que os danos poderiam ser sanados com medidas locais.

print
Comentários