O Ministério da Educação (MEC) informou ontem que a greve dos Correios pode atrasar a entrega do Guia de Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para os alunos da rede pública. O material deveria começar a chegar no último dia 17, mas algumas escolas estaduais em Belo Horizonte não haviam recebido o guia até ontem. O exame será realizado nos dias 3 e 4 de novembro deste ano.
Os estudantes não escondem a ansiedade. Esse guia pode me ajudar muito. É uma porta que vai se abrir para os meus estudos. Digo até que é uma oportunidade. Meu sonho é me dar bem nessa prova, diz Alex Fonseca, 16, aluno da Escola Estadual Professora Amélia de Castro Monteiro, no Horto, na região Leste de Belo Horizonte.
De acordo com a assessoria de imprensa do MEC, 147.869 guias já foram enviados para Minas Gerais. Desses, 709 estão no formato ampliado e 36, em braile. A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Educação informou que o MEC enviará os guias diretamente às escolas. Ao todo, foram investidos R$ 908, 9 mil na produção do material para a rede pública em todo o país.
A previsão do MEC era que os alunos inscritos no Enem pudessem contar com o material nesta semana ou, no máximo, no início da outra semana. O guia ainda não chegou, mas não paramos no tempo, diz Marinalva Orneles, supervisora da Escola Estadual Professora Maria de Lourdes Oliveira, no bairro Maria Goretti, na região Nordeste. Continuamos trabalhando e preparando os alunos para o Enem. Quando o guia chegar, será bem-vindo.
Na Escola Estadual Maestro Villa Lobos, no Santo Agostinho, região Centro-sul, o quadro não é diferente. É normal os alunos estarem ansiosos. O Enem virou referência não só para marcar o fim do ensino médio como também o ingresso na faculdade, diz o diretor da instituição, Geraldo Magela Alves.
A escola possui a prática do exame simulado, em que os alunos fazem uma prova que abrange todo o conteúdo das matérias que aprenderam. Sempre ressalto que eles precisam primar pela qualidade do estudo na sala de aula. Sem isso, nada acontece, conta Alves.
Inicialmente, haverá a distribuição de 1,7 milhão de cópias para as escolas públicas de todo o Brasil. Desse total, 1,6 milhão será destinado para os alunos e 100 mil, para os professores. O Enem deste ano teve mais de 5,7 milhões de inscritos, batendo o recorde de participantes.

Imprimir
Comentários