O governo de Minas atribui à paralisação dos caminhoneiros uma redução de cerca de R$90 milhões na arrecadação tributária do estado. Uma das consequências, segundo a Secretaria de Estado de Fazenda, é o atraso no pagamento da terceira parcela do salário de 8% dos servidores estaduais.

Pagos de forma escalonada, os funcionários públicos do estado deveriam ter recebido a última parcela do salário de maio na quarta-feira (30). No entanto, o governo alega queda de recursos no caixa do Tesouro Estadual desde o início da mobilização dos caminhoneiros, em 21 de maio.

Com o atraso, os servidores que recebem mais de R 6 mil vão começar junho sem receber o salário completo do mês anterior. A Secretaria de Fazenda não informa prazo para o depósito, mas afirma que o pagamento deve ser feito “nos próximos dias, tão logo a situação seja normalizada”.

 

 

Fonte: Estado de Minas ||

Imprimir

Comentários