Dois tipos de cirurgia para redução de estômago serão testados pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) em pacientes com diabetes tipo 2 e que tenham índice de massa corporal (IMC) entre 27 e 35 (considerados obesos e não com obesidade mórbida). A intenção não é ver a eficácia do procedimento quanto à perda de peso, mas sim quanto à remissão do diabetes.
Uma das cirurgias mais tradicionais é a chamada de ?by-pass gástrico?. Já a outra é a polêmica gastrectomia vertical com interposição de íleo – desenvolvida pelo médico goiano Áureo Ludovico de Paula e aplicada no apresentador Fausto Silva.
O médico goiano foi proibido pela Justiça de operar usando o método, depois que alguns de seus pacientes, que não tinham consciência de que a técnica era experimental, tiveram problemas de saúde.
Com o teste, que será feito gratuitamente em 40 pacientes, sendo 20 pela operação tradicional e outros 20 pela nova técnica, os médicos querem demonstrar que diabéticos não obesos, com IMC entre 27 e 35, podem se beneficiar e até se curar da doença após a cirurgia.
A ideia surgiu da constatação de que um terço dos diabéticos tem IMC de 30 a 35. A redução de estômago tem se mostrado eficaz na remissão da doença, que ocorre em 85% dos casos.

print
Comentários