Dias de Carnaval são despreocupados e totalmente entregues à diversão. Muitas vezes, a descontração que toma conta do folião pode significar, também, descuido com a saúde. Desidratação, estresse muscular e queimaduras de sol estão entre as consequências mais comuns do desleixo com o corpo nos quatro dias de auê.

Para aqueles que não têm a prática de atividade física na rotina, encarar a folia de forma intensa pode ser sinônimo de lesão. De acordo com André Soares, educador físico da Power Cycle, para aproveitar a festa de Momo sem interrupções, o ideal é lançar mão de alongamentos antes, durante e depois da maratona de bloquinhos.

“Faça cada um por, pelo menos, 30 segundos. Se possível, repita alongamentos da lombar e dos músculos posterior de coxa e glúteos. Para quem já pratica atividade diariamente, reduza o treino durante o Carnaval para não aumentar muito o nível de estresse muscular”, ensina.

“Caso surjam bolhas nos pés, o ideal é furá-las com uma agulha estéril para o líquido drenar, mas preservar a pele solta. Ela é um curativo natural e ajuda a proteger a ferida até que uma nova pele se forme”

 

Cuidar dos membros inferiores é também a orientação do angiologista Carlos Eduardo Jorge, diretor da Angiogold Clínica Estética. Conforme o médico, caminhar, correr e pular são atitudes que estimulam a contração das panturrilhas, favorecendo a circulação nas veias.

No entanto, tais atividades não devem ser feitas com calçados de saltos altos ou extremamente baixos, como rasteirinhas. “Calce um tênis confortável para os dias de folia. Ao chegar em casa, deite no sofá ou na cama com as pernas para cima, na altura do coração, por pelo menos meia hora, para melhorar a circulação”, observa.

Imunidade

O excesso de atividade física típico do período pode motivar, também, uma resposta do corpo com a redução da imunidade, afirma o clínico e nutrólogo da Unimed-BH Flavius Marinho Vieira. “Alimentar-se e hidratar-se bem com frutas, sucos e chás é ponto importante para manter a saúde durante o Carnaval”, coloca o especialista.

O médico ainda destaca a necessidade da proteção contra a chuva, caso ela ocorra. “Usar capa e ter os pés protegidos, de preferência com calçado impermeável, é o ideal, já que o bloco impede o uso do guarda-chuva”, diz. E essa instabilidade dos últimos dias, experimentada em BH, pode induzir a um comportamento perigoso para a pele.

Com o tempo nublado, muita gente pensa que a incidência solar é quase nula e acaba descuidando da proteção.Segundo o dermatologista Lucas Miranda, o índice de radiação nesta época do ano é muito alto e o cuidado é essencial. “Protetor solar, com reaplicação de duas a três horas, além do uso de chapéus e bonés”, acrescenta.

A também dermatologista Tathya Taranto chama a atenção para as maquiagens. “É preciso ter atenção na escolha do glitter, porque ele pode desencadear um processo alérgico e causar outros danos. Jamais utilize aquele de decoração de festas ou vendido em papelaria”, alerta.

Crianças

O bom senso na hora de levar os pequenos para a folia é o principal conselho da pediatra da Unimed-BH Andrea Chaimowicz para os pais. Conforme a médica, o melhor é preferir os blocos específicos para esse público, com músicas apropriadas e outras crianças para brincar, por exemplo.

No caso de grupos para adultos, optar por aqueles menores. “Os pais têm de pensar que deve ser um programa agradável para a criança, evitando exageros”, aconselha. A pediatra destaca a necessidade de se oferecer água continuamente aos pequenos, evitar o consumo de alimentos na rua, passar repelente e protetor solar e atentar para a fantasia. “Deve ser leve e sem exagero de adereços. Dê preferência para maquiagens antialérgicas ou à base de água”, expõe.

IMPRIMIR

Fonte:

Hoje em Dia