Um homem foi detido na manhã dessa quarta-feira (1º), em São Carlos (SP), após postar comentários contra a Polícia Militar no Facebook em uma publicação sobre a atuação dos policiais durante uma confusão na Festa do Clima, na noite de terça-feira (30). Na ocasião, foram disparadas bombas de efeito moral e balas de borracha e 11 pessoas foram detidas.

Um vídeo em que o homem detido aparece pedindo desculpas, sob ordens de uma pessoa não identificada, circulou nas redes sociais e será investigado pelo Comando da PM, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

Um advogado da OAB ouvido pelo G1 classificou a detenção como ilegal e vê abuso de poder por parte dos policiais.

Um comentário entre 500

A postagem do homem detido estava entre mais de 500 comentários de um vídeo postado na noite de terça-feira, com imagens do estouro das bombas disparadas pela PM, além de pessoas correndo.

O comentário postado por volta das 10h dessa quarta-feira diz que a PM ‘faz merda’, é um ‘bando de despreparados’, um ‘órgão do estado sem credibilidade’, entre outras afirmações.

Comentário no Facebook com críticas à atuação da PM em festa fez com que homem fosse detido em São Carlos — Foto: Reprodução

Menos de duas horas depois o homem foi detido e levado ao Plantão Policial. O Boletim de Ocorrência foi registrado como ‘não criminal’ às 12h08.

Como não houve tipificação de crime, o delegado de plantão apenas registrou os fatos. No B.O. consta que dois policiais compareceram a delegacia conduzindo o homem informando que por volta das 11h tomaram conhecimento de que ele estaria postando no Facebook dizeres ofensivos em relação à atuação da Polícia Militar na Festa do Clima.

Eles disseram que o reconheceram por ele ser de uma torcida organizada de São Carlos e o abordaram na rua. Também disseram que foi necessário algemá-lo porque havia risco de fuga.

Ao ser questionado, o homem reconheceu ter feito a publicação, pois no local havia pais de família e crianças, que nenhum policial foi nomeado nas postagens e que nenhuma ofensa foi proferida diretamente a qualquer patrulheiro que participou da abordagem.

Vídeo de desculpas

Homem é obrigado a gravar vídeo pedindo desculpas por comentário com cítricas à PM no Facebook — Foto: Reprodução

Horas depois, um vídeo que circulou nas redes sociais mostrava o homem pedindo desculpas pelas ofensas, sentado no chão e algemado. Nas imagens, que já foram excluídas do Facebook, o homem responde a comandos da pessoa que grava o vídeo e ironiza a ‘eloquência’ dele na escrita.

Veja o diálogo do vídeo:

Detido: – Desculpa aí.

Autor do vídeo: – Fala alto, fala direito!

Detido: – Desculpa.

Autor do vídeo: Cê não é cheio, cê não é eloquente para escrever, então fala, meu!

Detido: Tô pedindo desculpa pelo que eu escrevi em relação ao que aconteceu lá na praça do mercado no evento de ontem.

Autor do vídeo: Quem é despreparado?

Detido: Ninguém. Eu.

Autor do vídeo: Quem é despreparado, meu?

Detido: Eu. Tô pedindo desculpa.

A Secretaria de Segurança Pública informou que o vídeo foi encaminhado ao Comando PM local “para que, somado à análise das circunstâncias relativas à ocorrência, seja objeto de apuração”.

Contudo, não respondeu aos questionamentos sobre a conduta dos policiais, sobre o motivo de o homem ter sido detido e sobre o monitoramento de comentários nas redes sociais pela PM.

OAB vê abuso de poder

O advogado José Pereira Reis, membro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Carlos, classificou a detenção do homem como ilegal. Segundo o advogado, se o homem tivesse citado algum policial poderia responder por injúria, mas mesmo assim não justificaria a detenção. “Eu considero que houve abuso de poder, porque mesmo que ele tivesse se dirigido a um policial específico não poderia ter sido preso, muito menos algemado, uma vez que não é prisão em flagrante”, afirmou.

“Ele apenas expressou sua opinião, não há crime de ofensa contra uma instituição”, completou.

O advogado disse que o homem pode entrar a Justiça para obter reparação dos policiais e até da própria corporação e também acessar a Corregedoria da PM.

Ainda de acordo com Reis, a gravação do vídeo pode ser caracterizada como um constrangimento ilegal.

Confusão

No final das apresentações musicais da Festa do Clima, na noite de terça, realizada na Praça do Mercado, uma confusão terminou com 11 jovens detidos pela Polícia Militar que usou bombas de efeito moral e tiros de balas de borracha.

Vitrines de lojas foram destruídas e banheiros químicos e pontos de ônibus foram danificados.

Segundo a PM, o desentendimento começou durante abordagem da Guarda Civil Municipal (GCM) a um rapaz que portava entorpecentes. Ao ser preso ele teria incitado outros jovens a começarem a arremessar pedras e garrafas contra as autoridades e foi necessário o apoio da PM para conter os ânimos e dispersar o grupo de vândalos.

A PM disse ainda que para repelir a agressão foi necessário usar munições químicas e de impacto controlado.Um rapaz foi detido dentro de uma loja de motos, outros três estavam em um supermercado no Centro e mais sete foram capturados em posse de pedras e garrafas.

Todos foram levados ao Plantão Policial ainda no final da noite e para o registro da ocorrência junto à Polícia Civil e depois liberados.

Um rapaz foi detido dentro de uma loja de motos, outros três estavam em um supermercado no Centro e mais sete foram capturados em posse de pedras e garrafas.

Todos foram levados ao Plantão Policial ainda no final da noite e para o registro da ocorrência junto à Polícia Civil e depois liberados.

 

 

Fonte: G1||

Imprimir

Comentários