Oito anos após matar o próprio filho, D.A.R. que cumpria reclusão em regime semiaberto foi preso nessa terça-feira (14), em Arcos.

O mandado de prisão foi cumprido  pela Polícia Civil de Arcos sob o comando do delegado Elmer Flávio Ferreira Mateus Júnior.

O indivíduo foi conduzido para o presídio de Arcos, onde ficará a disposição da Justiça.

O júri de D.A.R., acusado de matar o filho, Júnior Augusto Ribeiro, no dia 26 de junho de 2009, ocorreu em julho de 2014.

Na sentença proferida pelo juiz Fernando de Moraes Mourão, o réu foi condenado por homicídio simples, considerando a agravante de crime praticado contra descendente e a atenuante da confissão espontânea. Ele recebeu a pena de 6 anos de reclusão, em regime semiaberto, podendo aguardar o trânsito em julgado em liberdade.

A defesa do réu sustentou a tese de legítima defesa, pela absolvição por clemência, do homicídio privilegiado e pelo decote da qualificadora prevista no inciso IV do 2º artigo 121 do CP. O Ministério Público e a defesa já recorreram da sentença.

O crime

Júnior Augusto Ribeiro, de 22 anos, foi morto pelo pai,  com três tiros disparados de uma arma calibre 38. O crime ocorreu na noite de 26 de junho de 2009, na residência da família, a rua Tiradentes, no Centro de Arcos.

Na época,  D.A.R., fugiu e se apresentou posteriormente ao delegado.

Durante o inquérito, baseadas no depoimento do pai,  tudo teria acontecido devido a uma briga  entre o jovem e a  mãe dele. Consta nos autos que o início da discussão foi em razão de Junior ter derramado gasolina na roupa. Durante o inquérito, o homem disse ao delegado que teria puxado o gatilho sob extrema emoção.

Foto feita na época do crime (Foto: Divulgação/ Portal Arcos)

 

Fonte: Portal Arcos||

Imprimir

Comentários