Redação Últimas Notícias 

O horário de verão terminou neste domingo (18), a medida durou 126 dias e em Minas Gerais resultou na redução de 0,5% no consumo de energia.

De acordo com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) a economia de 108 mil  megawatts-hora seria suficiente para abastecer uma cidade de 800 mil habitantes (equivalente à soma das cidades de Juiz de Fora e Sete Lagoas) durante os quatro meses de vigência da medida.

A economia seria suficiente para abastecer também a cidade de Belo Horizonte, com mais de 2 milhões de habitantes, durante nove dias.

De acordo com o engenheiro de planejamento energético da Cemig, Wilson Fernandes Lage o objetivo do horário diferenciado é que a população aproveite a iluminação natural mais longa – característica da estação – e reduza a demanda energética no horário de pico, das 18 às 21 horas. “A redução da demanda máxima no sistema é o maior benefício do Horário de Verão, porque alivia o carregamento nas linhas de transmissão, transformadores, sistemas de distribuição e unidades geradoras de energia, aumentando a confiabilidade e a segurança da operação do sistema elétrico, reduzindo o risco de ocorrência de desligamentos no Sistema Interligado Nacional”, explica Wilson Lage.

Próximo Horário de Verão será menor

Atendendo a um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o governo federal alterou o período de vigência do Horário de Verão por meio do Decreto nº 9.242/2017. O objetivo dessa mudança é evitar atrasos na apuração e na divulgação dos resultados do segundo turno das eleições. Essa alteração acontecerá a partir do Horário de Verão 2018/2019.

Dessa forma, o início do Horário de Verão passa a ser no primeiro domingo de novembro de cada ano, em vez do terceiro domingo de outubro como foi no ano passado, mantendo o término do período no terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte, exceto quando coincidir com o carnaval, como é atualmente.

 

Imprimir
Comentários