O secretário de Saúde de Divinópolis, Amarildo de Sousa, anunciou na tarde desta quarta-feira (25), em coletiva online, que o município terá um hospital de campanha no estacionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto.

O local já começou a ser preparado e até o fim desta semana, contêineres refrigerados devem chegar ao município. Na semana seguinte, começarão as contratações das equipes que vão atuar na linha de frente de combate ao coronavírus.

O valor de custeio mensal da unidade foi orçado em pouco mais de R$ 1 milhão. No entanto, os valores serão auditados mês a mês, podendo ser alterados. As despesas serão custeadas pelo plano de contingência do Estado. A gestão ficará a cargo do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (Ibds), que administra a UPA.

Hospital de campanha

O hospital de campanha está previsto no Plano Especial de Combate ao Coronavírus e contempla moradores que usam a UPA Padre Roberto dos municípios de Divinópolis, Carmo do Cajuru, São Sebastião do Oeste e São Gonçalo do Pará. Serão disponibilizados 20 leitos de Suporte Avançado de Vida (SAV), equipados com respiradores, e 20 leitos de observação.

Mais de 70 profissionais vão fazer parte da unidade, sendo 40 técnicos de enfermagem, oito enfermeiros, um coordenador médico, 16 médicos intensivistas, oito auxiliares de serviço, dois agentes administrativos, dois fisioterapeutas, um psicólogo e um coordenador geral.

Os leitos começaram a ser montados na segunda-feira (23). Nesta quarta, o estacionamento está sendo preparado para o suporte de energia elétrica e esgotamento sanitário. Já os contêineres começarão a chegar nesta quinta-feira (26).

“Vamos montar junto à empresa contratada e na segunda começamos a contratar as equipes. Os profissionais serão contratados pelo instituto com parâmetros de perfil urgência e emergência”, declarou Amarildo.

Ainda conforma o secretário, o hospital de campanha contará com um restaurante que já está instalado. No entanto, o espaço está sendo preparado para oferecer as refeições extras, um laboratório e o um raio x.

“Esse plano foi aprovado pelo Estado e vem paralelamente às ações regionais que Divinópolis também vai participar, para que sejamos atendidos com leitos extras. Nossa atitude se dá no sentido de não sabermos se os leitos regionais serão suficientes, por isso, vamos rapidamente instalar esses leitos para passarmos por essa crise da melhor maneira possível”, enfatizou.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários