Um gigante de gelo com 1.580 quilômetros quadrados, área superior à da cidade de São Paulo (1.521), se desprendeu da plataforma de gelo Amery, a terceira maior da Antártida. 

Chamado de D28, o novo iceberg soltou-se totalmente em 25 de setembro. A informação foi divulgada na segunda-feira (30) no Twitter do programa de observação da Terra da União Europeia em parceria com a Agência Espacial Europeia, o Copernicus.

Calcula-se que o D28 tenha cerca de 210 metros de espessura e cerca de 315 bilhões de toneladas de gelo. O tuíte mostra duas imagens capturadas e processadas pelo satélite Sentinel 1. Na primeira, de 20 de setembro, é possível ver uma rachadura em Amery. Na segunda, registrada cinco dias depois, o iceberg já está completamente separado da plataforma de gelo. 

Sistema de satélite Sentinel-1 da União Europeia capturou essas imagens para fazer a comparação antes e depois (Foto: Direito de imagemCOPERNICUS DATA/SENTINEL-1/@STEFLHERMITTE)

Assim que começa a se deslocar, um iceberg desse tamanho passa a ser monitorado e rastreado, pois no futuro pode se tornar um risco para o transporte marítimo. A Amery não produzia um iceberg tão grande desde a década de 1960.

Amery é a terceira maior plataforma de gelo da Antártida e um importante canal de escoamento para o leste do continente.

A plataforma é a extensão flutuante de várias geleiras que fluem na direção do mar. Perder icebergs para o oceano é a maneira como essas correntes de gelo mantêm o equilíbrio diante dos acúmulos de mais neve.

“Estou empolgada em ver esse evento após todos esses anos. Sabíamos que isso aconteceria eventualmente, mas, para ficarmos mais espertos, não aconteceu exatamente quando esperávamos”,  disse à BBC a professora Helen Fricker, da Scripps Institution of Oceanography.

Mas a pesquisadora do Scripps enfatizou que não havia ligação entre este evento e as mudanças climáticas. Dados de satélite capturados desde a década de 1990 mostraram que a Amery está em equilíbrio com o ambiente, apesar de sofrer forte derretimento da superfície durante o verão.

“Embora haja muito com o que se preocupar na Antártida, ainda não há motivo de alarde em relação a essa plataforma de gelo em particular “, acrescentou a professora Fricker.

As correntes e ventos costeiros levarão o D28 para o oeste. É provável que demore vários anos para que se desmanche e derreta completamente.

 

Fonte: BBC News ||
Imprimir
Comentários