Da Redação

Um idoso morador da rua Agostinho da Silva Lima, no bairro Rosário, em Formiga, tem vivido em condições graves de abandono, segundo pessoas próximas que entraram em contato com o portal.

Cego e cadeirante, segundo informações de vizinhos, o senhor Marco Antônio, que luta contra o câncer, conta apenas com ajuda de quem mora nas proximidades da residência dele, inclusive para a compra de alimentos e remédios, uma vez que os valores por ele recebidos por meio da aposentadoria, no valor de um salário mínimo, não estão sendo suficientes para cobrir tais gastos.

Alguns conhecidos buscaram uma vaga para o idoso no Asilo São Francisco de Assis, porém, a informação é de que não há vagas.

Sem informações sobre familiares, a administração municipal, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Humano também foi acionada.

Nessa segunda-feira (10), em contato com o Departamento de Comunicação, a informação é de que a situação do idoso será resolvida em breve. “A Secretaria de Desenvolvimento Humano já está em contato com uma clínica particular para recebê-lo. Os custos serão pagos com a aposentadoria dele”.

Os vizinhos que tem zelado pela saúde e pelas mínimas condições de vida do idoso aguardam ansiosos pela resolução do caso para que o senhor Marco Antônio seja cuidado de maneira adequada, tendo suas necessidades de fato atendidas.

Acompanhamento


Na tarde desta terça-feira (11), assim que a matéria foi ao ar, profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Humano e mais especificamente do Centro de Referência em Assistência Social – Cras I, localizado no bairro Rosário, entraram em contato com o portal para explicar que não se trata de um quadro de abandono, mas de vulnerabilidade.

Além disso, as informações repassadas são de que o idoso é acompanhado constantemente por profissionais da pasta, sendo que a vaga buscada no asilo local ocorreu por meio do Cras, mesmo equipamento que, agora, junto a outros setores do Desenvolvimento Humano está empenhado para que o senhor Marco Antônio vá para uma clínica em Campo Belo.

“Na verdade o idoso tem irmãos que precisarão autorizar a ida dele para a clínica e ajudar na compra de remédios e fraldas, pois o custo de manutenção no local é de um salário, o que não cobre esses gastos. Eles já disseram que assinarão a autorização por falta de condições de cuidar do irmão, agora estamos vendo a situação com relação às fraldas, de vez que os remédios buscaremos junto à Farmácia do município. Além disso existem trâmites para que a internação ocorra, como exames aos quais o idoso deve se submeter e esse processo está em andamento”, explicou Lindamar Azarias, supervisora do Suas no município.

De acordo com a coordenadora do Cras I, Núbia Dias Lopes, todo o serviço que deve ser prestado pela assistência social vem ocorrendo devidamente em favor do idoso. “Inclusive, fomos nós que buscamos uma vaga para ele no Asilo local. Temos contato constante com uma meia-irmã dele que tem buscado solucionar a situação junto ao centro”, explicou a psicóloga que garante que, por parte do Cras, seu Marco Antônio está sempre em acompanhamento, recebendo inclusive, alimentos quando necessário.

– Foto: Divulgação

Matéria atualizada às 17h00 para acréscimo de informações

Imprimir
Comentários