A abertura da exposição fotográfica “Olhar ao redor: desigualdade e diferença” produzida pelos alunos do IFMG, Campus Formiga, será realizada na Casa do Engenheiro, no sábado (7), às 9h.

A exposição que conta com a supervisão da professora Manuela de Carvalho Rodrigues, pode ser visitada até o dia 13 de novembro.

De acordo com a professora, a ideia surgiu de discussões sobre desigualdade social nas aulas de sociologia, em que os alunos trabalham as diferentes visões de Marx e Weber sobre o assunto. Assim, foi feita a proposta aos estudantes de associar o trabalho artístico com a observação do ambiente ao redor, aproveitando o tema das aulas, e conjugando-o com a fotografia – instrumento que foi apresentado aos estudantes por meio de uma oficina durante a Jornada Cultural do IFMG.

Manuela destacou os objetivos do projeto. “Um dos objetivos é permitir que os alunos percebam como a arte é algo que está próximo a todos, e pode surgir, inclusive, a partir de coisas comuns do cotidiano. Além disso, o projeto objetiva aguçar o olhar dos alunos para a percepção da desigualdade e da diferença, permitindo-os diferenciar as duas categorias e enxergar, de forma diferente, o ambiente em que vivem, e finalmente, colocar os alunos em contato com o planejamento e organização de uma exposição de arte.”

A proposta inicial foi de que os alunos fotografassem, usando celulares, a desigualdade social na cidade de Formiga. Eles poderiam fazer montagens ou fotos de paisagens, sempre tendo em mente a ideia de que a arte não é algo distante da realidade ou do público que aprecia, mas algo que nasce da realidade do artista e que demonstra sua visão do mundo e os elementos que fazem parte dessa construção. “Conforme o volume de fotos aumentou, a temática foi alterada para abarcar também diferentes formas de desigualdade, como a de gênero, e também diferenças que não impliquem uma distinção entre uma posição de superioridade e uma posição de inferioridade”, esclareceu a coordenadora.

O projeto foi proposto para todos os alunos do 2º ano dos cursos técnicos integrados ao ensino médio, porém, a participação é facultativa. Segundo Manuela, foram tiradas cerca de 50 fotos por 13 alunos dos 47 convidados a participar, mas alguns ainda estão fotografando, portanto, pode ser que a participação aumente.

A professora informou ainda que os estudantes estão bastante envolvidos com a ideia, pois, além de responsáveis por tirar as fotos, ficaram também responsáveis por auxiliar na organização do evento, atuando tanto na divulgação, como na operacionalização da exposição.

Com isso, espera-se que os alunos desenvolvam outro olhar sobre a cidade em que vivem e que percebam a fotografia como um instrumento para aguçar esse olhar e descobrir como os elementos do cotidiano podem ser objetos de arte.

Toda a população está convidada para prestigiar o evento. “A exposição será uma oportunidade para que todos possam também, perceber a cidade com outro olhar e observar, como os alunos perceberam, cada um a sua maneira, as manifestações da desigualdade e das diferenças. Além disso, é um momento de propiciar aos cidadãos formiguenses, um contato com a arte, e, finalmente, o comparecimento da população é um incentivo para o trabalho e dedicação dos jovens alunos da cidade”, explicou a professora.  

 

Redação do Jornal Nova Imprensa IFMG campus Formiga

print
Comentários