No domingo (11) que o Brasil registra 1.803 mortes por Covid-19, totalizando 353.137 vidas perdidas pela doença no país, igrejas católicas em Minas Gerais bateram sinos em homenagem a essas vítimas.

A ação atende um pedido da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Segundo a entidade a homenagem revela a ‘importância da manifestação de sinais de esperança, fé e solidariedade diante das mortes pela Covid-19’.

Em Belo Horizonte, o Santuário São Paulo da Cruz, no Barreiro, foi um dos locais que as badaladas foram ouvidas. ‘Esta iniciativa sinaliza a profunda preocupação que temos com vida. Sendo Dom de Deus, cada vida, é preciosa’, disse o reitor padre Alex Antonio Favarato.

O padre responsável pelo santuário na região do Barreiro destacou que no momento em que o sino tocou, o santuário estava fechado para o público e havia transmissão online da celebração. 

No Santuário Nossa Senhora da Boa Viagem, no Centro de Belo Horizonte, região Centro-Sul, os sinos também foram toados, segundo informou o pároco, padre Marcelo Silva. No templo, a celebração acontecia sem presença de fiéis, conforme orientação da Arquidiocese de Belo Horizonte como medida sanitária para conter o avanço da Covid-19.

Na diocese Guanhães, região do Rio Doce, dom Otacilio Ferreira de Lacerda, disse que todas as 27 paróquias e os dois santuários da região foram motivados a prestarem a homenagem. Ele afirma que na Catedral São Miguel os sinos tocaram. “É uma feliz iniciativa da CNBB neste momento tão difícil. Todos os templos aqui foram orientados a fazer”, disse.

Fonte: O Tempo

print
Comentários