O incêndio que atingiu a Serra do Curral na noite noite de domingo (28) destruiu uma área equivalente a 50 campos de futebol, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Uma equipe da corporação retornou ao local na manhã desta segunda-feira (29) para monitorar possíveis focos e avaliar a área atingida com a ajuda de um drone. 

As causas da queimada estão sendo investigadas, mas a principal suspeita é de ação humana. Conforme os militares, cerca de 50 hectares foram consumidos pelo fogo em um perímetro de 5 quilômetros.

“Ainda não analisamos todos os dados da perícia no local, mas, devido ao clima na região no dia de ontem, é pouco provável que um raio tenha caído, que seria a única causa natural”, explicou o tenente Leonan Soares.

Segundo ele, o incêndio atingiu duas áreas de vegetação: Mata da Baleia e Parque das Mangabeiras. Os locais têm postos de vigilância, mas o trabalho é dificultado por serem próximas de zonas urbanas.

“Por estar próximo a áreas urbanas, com esta extensão que (as matas) têm, de fato, é muito para monitorar. Uma medida eficaz seria uma campanha de conscientização da população da região”, analisa.

Para combater o incêndio, que pôde ser visto em diversos pontos da capital mineira, chamando a atenção para o rastro de fogo que cortou a serra, foram empenhados 20 bombeiros e cinco viaturas.

Imagem da área queimada feita por drones, usados pela primeira vez pelos bombeiros na região

Drone

Para medir a extensão da área queimada, os bombeiros usaram um drone. “Gastamos apenas duas baterias que são carregadas na tomada, evitando um custo de R$ 5 mil em relação ao uso de aeronaves”, salienta Soares.

Com o tempo nublado, os helicópteros não teriam condições de voo, segundo o militar.

Fonte: Hoje em Dia

Imprimir
Comentários