Uma semana após o começo da campanha de vacinação de idosos contra a gripe, e os números de pessoas vacinadas já são preocupantes. De acordo com a coordenadora do setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, Juliana Silva Castro, da meta de 80% (cerca de 6 mil idosos), até o sábado, dia 26 de abril, apenas 36% (2.639 idosos) haviam sido vacinadas.
Juliana explica que esse número é preocupante, pois nesse ritmo, a meta não será alcançada. ?O que acontece é que muitas pessoas ainda estão resistentes em tomar a vacina, com medo que ela traga algum tipo de complicação. Porém, já foi perfeitamente esclarecido que as únicas reações que a vacina pode trazer são aquelas comuns que qualquer vacina traz?, esclarece a coordenadora.
Algumas pessoas acreditam que o fato de contraírem um resfriado após tomarem a vacina, significa que o composto ocasionou o mal estar. ?É muito importante compreender que em uma época de variação das temperaturas, é comum que as pessoas desenvolvam resfriados, irritações na garganta e coriza. Mas isso não é gripe. A gripe é mais complicada e perigosa que o resfriado e ela pode e deve ser combatida. Eu faço um apelo a filhos, netos e acompanhantes de idosos para que conscientizem seus familiares sobre a importância de tomar a vacina?, encerra Juliana.
Comprovadamente, a vacina não causa gripe, sob nenhuma circunstância, por ser constituída de vírus mortos. A única coisa que pode ocasionar é uma reação adversa, como febre baixa, vermelhidão no local da aplicação ou algo similar, tal como ocorre com qualquer outra vacina.
A vacina só é contra-indicada a pessoas com alergia grave a ovo de galinha e quem já desenvolveu a Síndrome de Guilan-Berré.
A Campanha termina no dia 09 de maio.

Imprimir
Comentários