Na segunda-feira (20) foi protocolado na Câmara Municipal de Ibiá, um Projeto de Lei (PL) de iniciativa popular que prevê redução nos salários do prefeito, vereadores e agentes que ocupam cargos comissionados a partir de 2017.

Na cidade existem cerca de 17 mil eleitores e mais de mil assinaram o projeto. Entre os itens pedidos pela reivindicação estão a extinção do cargo de assessor parlamentar e a redução do subsídio mensal do cargo de vereador, em 50 %.

De acordo com o projeto, o valor atual do salário dos vereadores, que é de R$6 mil, passaria a ser de R$ 3 mil. Ainda de acordo com o projeto protocolado, o mesmo aconteceria com os salários do prefeito, vice e secretários municipais, porém neste caso estão previstos acréscimos de até 50% a título de gratificação, casos eles cumpram metas aprovadas pela Câmara.

Segundo um dos integrantes do movimento, o aposentado Gerson Eliezer de Morais, a cidade tem 11 vereadores em exercício e a economia global com as reduções pode passar de R$ 6 milhões em quatro anos. “O que o povo luta é pela desprofissionalização da política, são pessoas que têm salários altíssimos e trambalham muito pouco. Aqui em Ibiá, por exemplo, eles trabalham três vezes por mês e isso não justifica esse salário alto”, justificou.

Com relação aos dias trabalhados, a assessoria de comunicação do Legislativo de Ibiá informou que o regimento interno da Câmara estabelece reuniões nas três primeiras segundas-feiras do mês e, além delas, já foram feitas 25 reuniões extraordinárias este ano. Sobre o projeto de iniciativa popular, informaram que não há previsão de quando ele será colocado em votação.

Mas segundo o presidente da Câmara, Rodrigo Álvaro Reis, agora o projeto será encaminhado para o jurídico. “O PL deu entrada na Casa e agora cabe ao jurídico analisar. Se o parecer for favorável e tudo der certo será encaminhado ao plenário e votado”, concluiu.

 

 

Fonte: G1 ||

print

Comentários