Córrego-fundenses inscritos no programa “Família Acolhedora” participaram de um curso de capacitação na sede da Secretaria de Políticas Sociais. O treinamento é pré-requisito para o programa e reuniu cinco famílias e foi realizado na quinta-feira passada (5).

O curso foi aplicado pelas Técnicas do Acolhimento e orientadoras da cidade de Lagoa da Prata, a assistente social, Caroline de Carvalho e a psicóloga Fernanda Oliveira. O treinamento contou com o apoio da assistente social, Juliana Maria da Silveira e da psicóloga do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), Juliana Santos Alves, ambas de Córrego Fundo.

O secretário de Políticas Sociais, Juarez Geraldo da Cunha mostrou-se muito satisfeito com a adesão das famílias córrego-fundenses ao programa. “Somente com a participação da sociedade, conseguiremos colocar o programa em prática, priorizando o bem estar e a proteção integral das crianças e adolescentes e o resgate dos vínculos familiares,” comentou.

Família Acolhedora

O programa “Família Acolhedora” tem como objetivo substituir os abrigos municipais de menores, oferecendo melhores condições para os acolhidos em lares provisórios, cadastrados e assistidos e visa garantir à criança e adolescente, que necessite de proteção, o acolhimento provisório por uma família cadastrada no programa e oferecer apoio às famílias de origem na busca de reestruturação familiar, com o menor grau de sofrimento e perda, preparando as crianças e/ou adolescentes para a reintegração familiar, ou colocação em família substituta, por meio de tutela, guarda ou adoção.

As “Famílias Acolhedoras” cadastradas, independentemente de sua condição econômica, têm a garantia de subsídio, por criança ou adolescente em acolhimento, proporcional ao período de permanência e número de acolhidos, devendo assumir todos os direitos e responsabilidades legais reservados ao guardião, como assistência material, moral e educacional à criança e adolescente acolhido.

IMPRIMIR