source

A Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) emitiu um alerta vermelho de captura contra o ator argentino-brasileiro Juan Darthés , acusado de estupro. A organização atendeu a um pedido da Justiça da Nicarágua, onde a atriz Thelma Fardín registrou uma denúncia contra Darthés. A informação foi confirmada pela advogada de Thelma, Sabrina Cartabria, à agência de notícias “Telám” na última sexta-feira.

Leia também: Geisy Arruda rebate seguidor que diz que ela incentiva o estupro 

Juan Darthés arrow-options
Reprodução/Instagram

Juan Darthés


Darthés, de 55 anos, estaria vivendo no Brasil desde que a acusação de Thelma vieram à tona, no fim do ano passado. Filho de argentinos, ele nasceu em São Paulo e foi registrado como Juan Rafael Pacífico Dabul. A família voltou ao país vizinho quando ele ainda era criança e o ator se tornou uma estrela. Um dos trabalhos de mais sucesso foi a novela adolescente “Patito Feo”, estrelada por crianças e adolescentes, na qual Darthés e Thelma trabalharam juntos.

Leia também: Após estupro, cantores de k-pop são condenados e vão para prisão

A atriz diz que tinha 16 anos quando foi estuprada , em 2009. Segundo a jovem, Darthés foi até o quarto de hotel onde ela estava, durante uma turnê de apresentações do elenco do seriado pela América Latina. Thelma diz que o homem obrigou que ela tocasse nele e a forçou a ter relações sexuais enquanto a jovem pedia que ele parasse. O ator nega todas as acusações.

Ao todo, seis atrizes denunciaram o argentino. Todas disseram que ao sofrerem alguma violência por parte de Darthés, ouviram dele a frase “olha como você me deixa”.

Thelma Fardín arrow-options
Reprodução/Instagram

Thelma Fardín


Leia também: Geisy Arruda fala sobre fetiche por anões: “sempre quis transar com um”

“Essa frase é um artifício que esse homem usa para colocar a responsabilidade na vítima”, disse Thelma ao “Fantástico”, em entrevista exibida neste domingo.

Brasil e Nicarágua não possuem acordo de extradição. Por ser brasileiro, Darthés não pode ser preso no Brasil até que o Supremo Tribunal Federal (STF) faça um pedido de prisão preventiva contra ele.

Fonte: IG GENTE
Imprimir