No início de abril, a Umbro, fornecedora de materiais esportivos do Cruzeiro, lançou a nova camisa do clube em alusão à Islândia. A coleção, nomeada de Projeto Nations, foi criada em referência aos países que disputam a Copa do Mundo, na Rússia.

A Seleção Islandesa, homenageada pela equipe mineira, é estreante na competição, mas o empate por 1 a 1 com a Argentina do craque Lionel Messi, pela primeira rodada do Grupo D, já colocou a novata entre as principais surpresas do torneio.

Diferentemente do Cruzeiro, a Islândia não tem tanto reconhecimento futebolístico. Classificados em primeiro lugar no Grupo I das Eliminatórias Europeias, os islandeses têm em Gylfi Sigurðsson, meia do Everton, a esperança de uma boa posição na Copa do Mundo. Porém, quem brilhou na primeira rodada foi o goleiro Halldórsson, que pegou pênalti de Messi e garantiu o empate islandês.

Segundo o vice-presidente-executivo do Cruzeiro, Marco Antônio Lage, o clube enviou as camisas da coleção ao consulado da Islândia no Brasil. A princípio, não houve retorno por parte deles em relação à ação promovida pela Umbro. Porém, conforme Lage, a fornecedora comunicou à diretoria celeste que o uniforme caiu no gosto do público. “A Umbro nos informou que o número de unidades vendidas foi duas vezes maior que a meta estabelecida por eles”.

Como também não houve registros da ação na imprensa islandesa, até mesmo os apaixonados por futebol do país se surpreenderam quando foram informados, pelo Superesportes, que um clube do Brasil lançou uma camisa em homenagem à Islândia.

Bjarni Rögnvaldsson, 22 anos, meia do Grótta F.C, da Terceira Divisão Islandesa, e fã de Ronaldinho Gaúcho, ficou feliz com a homenagem. O islandês, curioso, aprovou a camisa, mas revelou que não conhecia nada sobre a campanha. “A camisa é linda. Acho que é uma grande honra um clube no Brasil homenagear o meu país. Desde 2016, quando a Islândia se saiu bem na Eurocopa, recebemos muita atenção. Mas eu não sabia que uma equipe do clube em um dos países que amamos assistir futebol estava nos homenageando. Antes do nosso sucesso, ainda assistíamos a cada Copa do Mundo e Euro. Eu sei que muitas pessoas da Islândia olhavam para o Brasil e outros países da América do Sul. Eu não sabia disso e perguntei a algumas pessoas e ninguém ouviu falar sobre. Compraria uma”, admitiu.

Outro jogador do Grótta – inclusive, camisa 10 do clube -, Kristófer Pétursson também gostou da homenagem. “Eu acho que é uma grande honra para um país tão pequeno. Eu também acho que a camisa é muito bonita”, disse.

O islandês Ásgeir Tómas Arnarson, torcedor do Liverpool, admitiu ser fã de Coutinho, brasileiro da Seleção que jogou pelo clube inglês antes de ir para o Barcelona. Além do meia, o torcedor também revelou considerar Ronaldinho Gaúcho um dos maiores de todos os tempos. Arnason, que também não conhecia a campanha, gostou do uniforme. “Eu acho que isso é ótimo e é uma honra que este grande clube homenageie a Islândia. Não consegui encontrar nada sobre isso na mídia islandesa. Mas acho esse uniforme lindo”.

O torcedor Jóhann Óskar Jóhannsson relembrou o Cruzeiro como um dos formadores do volante Ramires. O jogador foi um dos principais destaques do Chelsea. Na Islândia, clubes ingleses são os mais populares. O islandês também aprovou o uniforme cruzeirense, mas gostaria que mais pessoas soubessem da campanha. “É muito bom ver um clube grande e tradicional como o Cruzeiro homenageando a Islândia. É também muito surpreendente. Mais pessoas na Islândia deveriam saber disso. E a campanha é muito legal, eu gosto das coisas do viking (em relação aos dizeres Blár Víkingur)”.

Com o objetivo de avançar às oitavas de final da Copa do Mundo, a Islândia enfrenta a Nigéria, nesta sexta-feira, às 12h, em Volgogrado. Já o Cruzeiro entra em campo apenas no dia 4 de julho (quarta-feira), em amistoso contra o Corinthians, no Mineirão.

Camisa alusiva à Seleção Islandesa foi elogiada por pessoas naturais do país nórdico (Foto: Alexandre Guzanshe)

 

Fonte: Super Esportes||

Imprimir

Comentários