A cidade de Itaúna registrou o primeiro caso de sarampo em investigação da região Centro-Oeste de Minas. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (30), pelo boletim epidemiológico do sarampo da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

De acordo com a SES-MG, Itaúna está entre os cinco municípios do Estado onde há casos que “muito provavelmente serão confirmados”, mas ainda necessitam de percorrer etapas da investigação.
As outras cidades são Viçosa, na Zona da Mata, Passos, no Sul de Minas, Uberlândia e Jundiaí (SP) que foi atendido em Belo Horizonte.
A Prefeitura de Itaúna informou por meio de nota que a paciente é uma jovem de 20 anos que deu entrada no pronto-socorro do Hospital Manoel Gonçalves no dia 8 deste mês. “Devido aos sinais e sintomas compatíveis com a doença, foi coletado material e enviado para exame na Funed [Fundação Ezequiel Dias], o qual teve resultado positivo”, informou.
Ainda de acordo com o Executivo, a jovem tem o cartão de vacina em dia.
A Prefeitura disse que seguindo orientações da Superintendência Regional de Saúde, uma segunda amostra de sangue foi coletada, para que possa ser dada a confirmação ou não de sarampo. Conforme a Secretaria de Estado de Saúde, o paciente recebeu a vacina para impedir a evolução da doença.
Contato com o vírus
A paciente está bem e se recupera na própria residência. Por fim, a Prefeitura disse que conforme relatos familiares, a moça esteve no estado de São Paulo em julho, aonde, possivelmente teve o contato com o vírus do sarampo.
Na quarta-feira (28), o governo federal divulgou que nos últimos 90 dias, entre 2 de junho e 24 de agosto, 2.331 casos de sarampo foram confirmados em 13 estados. O maior número de registros suspeitos da doença é em São Paulo, até o mo momento foram notificados 2.299 casos.
Em Minas
Conformem a SES, desde o início de 2019 foram notificados 249 casos suspeitos de sarampo provenientes de 92 municípios em Minas Gerais. Destes, 67,1% foram descartados, 31,3% estão sob investigação e 1,6% casos foram confirmados.
Vacinação
As vacinas que protegem e são indicadas no caso da doença é a Dupla Viral, Tríplice viral e Tetra viral. De acordo com recomendação do Ministério da Saúde, crianças maiores de 6 meses devem receber a vacina tríplice viral.
Segundo calendário, a vacina era aplicada somente em crianças maiores de 1 ano, mas devido ao surto no país o Ministério viu a necessidade de ampliar as imunizações.

 

Fonte: G1 ||
Imprimir
Comentários