Uma manifestação contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de acabar com a obrigatoriedade do diploma de graduação para o exercício da profissão de jornalista reuniu a categoria, na manhã desta terça-feira, 23 de junho, em frente ao Centro Integrado de Apoio ao Adolescente (CIAA), no bairro Barro Preto.
Embora tenha vindo a Belo Horizonte sem tornar pública a sua agenda, o presidente do STF, Gilmar Mendes, ao chegar ao CIAA, foi recebido com palavras de ordem e cartazes em protesto à decisão do último dia 17 de junho. Os manifestantes usavam narizes de palhaço e saudaram o ministro do STF com um apitaço.

Segundo os jornalistas, o resultado do julgamento prejudica não apenas a categoria, como, e principalmente, a sociedade que tem direito de conhecer a verdade. ?A decisão foi retrógrada, por desconhecer a trajetória histórica do jornalismo brasileiro e a contribuição da profissão à sociedade civil?, declarou Ilson Lima, diretor do SJPMG.

Segundo a jornalista e diretora do Sindicato, Fátima de Oliveira, faltou sensibilidade aos oito ministros que derrubaram a obrigatoriedade do diploma. ?Eles estão indo na contramão da história, precarizando ainda mais as relações de trabalho. Hoje são os jornalistas, amanhã serão outros profissionais que atenderão à nova tendência contemporânea do mercado, que é a de repassar para o trabalhador o ônus de ser empregado.?

print
Comentários