Juiz de Fora, localizada na Zona da Mata, entrará em lockdown a partir desta segunda-feira (8).

A decisão foi divulgada na manhã desse domingo (7) pela prefeita do município, Margarida Salomão. Apenas atividades essenciais, que são “estritamente imprescindíveis” poderão funcionar a partir das 00h de amanhã.

A cidade passa por um esgotamento do sistema de saúde e tem hoje 100% dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) destinados aos pacientes com Covid-19 ocupados.

Na prática, o município estará na Faixa Roxa, a mais restritiva do programa Juiz de Fora pela Vida e classificada como lockdown. Inicialmente, o decreto terá validade de uma semana. Está autorizado o funcionamento apenas de supermercados, mercearias, padarias, farmácias e implementos veterinários. O sistema bancário deverá funcionar em horário estendido e sem filas nas portas das agências. A frota de ônibus deverá circular com 100% dos carros. Está proibida a circulação de passageiros em pé. Todos os serviços da Prefeitura continuarão funcionando presencialmente.

A medida foi tomada nesta manhã após a cidade atingir 100% de ocupação dos leitos de UTI reservados para pacientes com a doença. Segundo a chefe do Executivo municipal, também há a possibilidade de esgotamento de recursos como remédios, respiradores e oxigênio.  

“Uma situação de restrição absoluta, por força do quadro crítico que nos encontramos, com esgotamento dos recursos de saúde da cidade. Nós temos hoje 100% dos leitos de UTI ocupados e temos uma lotação dos leitos da região. Estamos trabalhando arduamente para ampliar os recursos disponíveis, mas estamos também determinando uma limitação da vida social”, disse Margarida Salomão em coletiva de imprensa realizada neste domingo.

A prefeita informou, ainda, que uma reavaliação do quadro será feita em uma semana, para que sejam definidos os próximos passos. “A situação é tão grave que nós começamos a ter também uma exaustão do sistema funerário. Estamos atravessando um período de contaminação muito forte, de tal modo que a situação se degradou nas últimas horas de forma muito intensa e com muita velocidade. Por isso estamos decretando a restrição máxima das atividades sociais”, concluiu.

Fonte: Hoje em Dia

Imprimir
Comentários