Um homem de 38 anos foi preso, no início da semana, por vender um medicamento em que prometia a cura do coronavírus, em Ipanema, no Vale do Rio Doce. O remédio, chamado de “Imunotex Plus”, era feito de produtos naturais extraídos de gerânio, segundo ele, e vendido a R$ 30 o frasco. 

O comerciante já anunciava o produto há alguns meses, mas as vendas estouraram recentemente com o rápido aumento no número de casos da doença no Brasil e em Minas. 

Ele costumava dizer que seu produto era “milagroso”, capaz de curar o novo coronavírus e várias outras doenças, como o câncer, e chamava a si mesmo de “naturopata”. 

O suposto medicamento era anunciado em sites e jornais da região, e enviado pelos Correios. O aumento repentino nas vendas chamou a atenção da polícia e, após denúncias anônimas, o comerciante foi preso na segunda-feira (23) com vários frascos do produto e, já nesta terça (24), teve a prisão em flagrante convertida para preventiva.  

O crime está previsto no artigo 273, do Código Penal (falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais” e a juíza Luciana Mara, da comarca de Ipanema, recebeu o laudo de prisão em flagrante e optou pela conversão da preventiva remotamente, diante da suspensão das atividades presenciais nos Fóruns.  

Fonte: Hoje em Dia

 

 

Imprimir
Comentários