Redação Últimas Notícias 

Na manhã deste sábado (27), eleitores que realizaram uma ação em favor ao candidato à presidência, Fernando Haddad/PT foram obrigados a retirar cartazes afixados na praça Getúlio Vargas, no Centro de Formiga.

A ação fez parte da campanha petista “Vira Voto”, realizada em diversas cidades brasileiras com o intuito de conquistar  votos de eleitores indecisos.

De acordo com o chefe do Cartório Eleitoral de Formiga, Marcos Eugênio Lopes, os manifestantes portavam cartazes que excediam o tamanho determinado por lei. “A Justiça determinou a apreensão de todo o material inclusive de uma mesa de café da manhã montada na praça”, informou Marcos.

Ao Últimas Notícias, os manifestantes informaram que foram orientados pela Polícia Militar, por ordem do promotor de Justiça Lucas Silva e Greco, a retirarem os cartazes afixados nas árvores existentes no local.

Após discussão amistosa entre os manifestantes e as autoridades, os cartazes foram apreendidos e a mesa de café retirada.  Um Boletim de Ocorrências foi registrado e os manifestantes se retiraram da praça passivamente.

“Vira voto”

“Se você vai votar nulo, vamos conversar?” Diante de pesquisas desfavoráveis e dos embates inflamados e infrutíferos das redes sociais, grupos de apoiadores de Fernando Haddad foram para as ruas e praças para tentar reverter votos nulos e conquistar indecisos.

A ideia, que se espalhou por cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Rio Grande do Sul, é romper a “bolha” ideológica e travar conversas olho no olho, livres de paixões e baseadas em informações de fontes confiáveis em que se mostrem, por um lado, posturas reprováveis de Jair Bolsonaro/PSL e, por outro, bons projetos do candidato petista.

Em algumas cidades pessoas dispostas a conversar com indecisos e reafirmar a importância do voto montaram banquinhas, onde oferecem café, bolos e pães  para quem tem  interesse em discutir democraticamente sobre os presidenciáveis.

 

Foto: Reprodução/Instagram

Matéria atualizada às 19h50 para acréscimo de informação

 

Fonte: Com informações do Estado de Minas||

print

Comentários