O Tribunal de Justiça do Pará mandou cumprir a ordem de prisão do fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, o “Taradão”, acusado de mandar matar a missionária Dorothy Stang no Pará, nesta terça-feira (16). Ele teve o mandado de prisão preventiva decretado pelo Superior Tribunal de Federal (STF), há quase dois meses.

A ordem foi enviada à Justiça do Pará, que a encaminhou à Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) para cumprimento no endereço do acusado. A Polícia Civil informou que já recebeu o documento e encaminhou às Superintendências Regionais de Marabá e Altamira, onde o condenado tem domicílio. A Susipe aguarda o recebimento do mandado.

Regivaldo Galvão foi condenado a 30 anos de reclusão em 30 de abril de 2010 como mandante do assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang. Militante da reforma agrária, a religiosa foi morta, em 2005, em um assentamento rural no município de Anapu, no Pará. A condenação foi mantida em segunda instância, e a pena chegou a ser reduzida para 25 anos pelo Superior Tribunal de Justiça, que autorizou a prisão em 2017.

O acusado recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ganhou uma liminar para ficar em liberdade, em maio de 2018. Uma decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a prisão do fazendeiro, derrubando a liminar no último mês de fevereiro.

 

Fonte: G1 ||https://g1.globo.com/pa/para/noticia/2019/04/16/justica-do-para-manda-cumprir-mandado-de-prisao-de-regivaldo-galvao-condenado-por-mandar-matar-dorothy-stang.ghtml

Imprimir

Comentários