Redação Últimas Notícias 

Quem observou a Lagoa do Fundão nos últimos dias pode ter se assustado com a diminuição do nível da água. Esta sensação pode indicar a ocorrência do aumento de carreamento de terra, provavelmente em razão do período chuvoso.

Isto expôs ainda mais as plantas aquáticas que se proliferaram no lago, o que motivou ações de moradores e da diretoria do Country Clube que, desde 2017, lutam em busca efetiva da “salvação” da lagoa.

Relembrando:

Em janeiro de 2017 um projeto de revitalização denominado “Salve a Lagoa” foi entregue à administração municipal. O trabalho foi apresentado pelo graduando em biogeografia, Vladmyr Soares de Souza e pelo educador físico Américo Portela Neto (Netinho Portela).

Em novembro do mesmo ano, com apoio de Furnas Centrais Elétricas, a Prefeitura iniciou a limpeza do espelho d’água. O trabalho consistia na retirada das algas com utilização de um rastelo amarrado a um cabo de aço e um trator que puxava o rastelo arrastando montes de algas. O trabalho se mostrou ineficiente. A técnica utilizada não conseguiu disseminar as algas que, depois disto, se proliferaram mais rapidamente.

Uma segunda tentativa utilizando a mesma técnica foi realizada em janeiro de 2018, desta vez, com apoio da Associação de Proteção Ambiental (Arpa II), mas também não apresentou resultados satisfatórios e, novamente, as algas se proliferaram em ritmo acelerado.

De lá para cá, apesar da falta de recursos financeiros, ao que se sabe, o município continuou tentando viabilizar verbas que permitissem uma nova investida contra as algas e, paralelamente, buscou informações e tomou conhecimento de novas técnicas que de fato pudessem resolver o problema.

Foto: Euler Vespúcio

Uma luz no fim do túnel:

Conclui-se que uma das soluções que pode ser adotada na luta pela revitalização da lagoa será a utilização de um hidrotractor, veículo aquático desenvolvido para realizar a limpeza de ambientes hídricos que apresentam grandes áreas de proliferações de plantas aquáticas.

O hidrotractor já se comprovou, é muito eficiente na retirada de algas.

Outras duas hipóteses também estão sendo estudadas pela administração municipal: a retirada de uma espécie de peixe invasora que se instalou no lago e a introdução de outras espécies que se alimentem de vegetação, promovendo a limpeza de forma eficaz, natural e constante.

Obras de saneamento

Outra medida implementada pela Prefeitura foi a instalação de rede de esgoto no bairro Andorinhas, localizado atrás da Lagoa do Fundão.

De acordo com o diretor do Saae, Flávio Passos a obra que foi orçada em R$179.055,48, deverá atender todas as residências do bairro podendo assim, eliminar as fossas negras que durante décadas recolheram o esgoto doméstico no bairro e facilitaram a infiltração e a contaminação do lençol.

Praia Popular

Com o problema na Lagoa do Fundão, os frequentadores do Parque Municipal Doutor Leopoldo Corrêa (Praia Popular) apesar de desfrutarem de um equipamento revitalizado, não podem mais usufruir do espelho d’água que por muitos anos foi um dos principais pontos turísticos do município.

print
Comentários