Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, no início do mês, uma menina de um ano morreu na capital apresentando os sintomas da doença.
No hospital João Paulo II, referência no atendimento infantil no Estado, foram confirmados nos primeiros 15 dias desse ano nove casos da doença, o que representa um aumento de 50% em relação a janeiro de 2008. Desse número, a maioria dos pacientes tinha menos de cinco anos de idade.
A leishmaniose é transmitida do cachorro para o ser humano pela picada do mosquito-palha. Segundo informações da Secretaria de Saúde da capital, em 2008, 134 casos de leishmaniose foram registrados em Belo Horizonte, sendo que 17 pessoas morreram. Em 2007, foram 110 ocorrências e nove mortes.
Para evitar um surto da doença, agentes de saúde farão um censo sobre a saúde dos cães. A orientação dada é que o morador que suspeitar que o cão esteja com a doença deve levar o animal ao veterinário para que sejam feitos os exames necessários. Dependendo dos resultados obtidos, é necessário que o animal seja sacrificado.

print
Comentários