Em visita a Montes Claros, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que pode voltar à corrida eleitoral para suceder Dilma Rousseff (PT), se entender que o cenário político necessita de sua participação para que o partido se mantenha no Planalto.

“Eu, sinceramente, espero que tenha outras pessoas para serem candidatos. Agora, uma coisa pode ficar certa: se a oposição pensa que vai ser candidata, que vai ganhar, que não tem disputa, que o PT tá acabado, pode ficar certa do seguinte: Se for necessário, eu vou pra disputa e vou trabalhar pra que a oposição não ganhe as eleições. Nós temos um projeto nesse país. O projeto mais exitoso. O projeto que mais fez com que os pobres ascendessem socialmente. Foi o que mais fez com que pobres ascendessem à classe média”, afirmou, em uma longa entrevista à repórter Edilene Lopes, da rádio Itatiaia, com mais de 18 minutos de duração.

Lula disse que pretende voltar a participar mais ativamente da vida política do país, e aproveitou para criticar adversários e, de forma indireta, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC), que tem atacado o PT e a presidente Dilma.

“Vou voltar a falar, vou voltar a dar palpite nas coisas, porque eu vejo muita gente que já governou esse país, vejo muita gente que já foi deputado, que já foi governador, que não fez nada, e agora fica falando como se fosse salvador da pátria. Então, eles podem estar certo do seguinte: o Lula vai voltar a uma atividade política mais intensa. Vou voltar a viajar o Brasil e quero disputar com eles ideias”, anunciou.

Na mesma entrevista, Lula disse que o governo de Dilma Rousseff tomou decisões erradas em relação ao ajuste econômico, mas que está seguro em um futuro mais promissor nos próximos anos. “Claro que houve erros, mas estamos no caminho certo. Vamos ter um 2015 sofrível e, em 2016, a coisa vai melhor muito, com certeza”, destacou.

 Corrupção

O ex-presidente também afirmou que um dia a população vai reconhecer a contribuição que o PT deu para o país. “Haverá um dia em que o povo brasileiro acordará de verdade e saberá agradecer que o Brasil teve um governo do PT que permitiu pela primeira vez uma investigação verdadeira”, disse.

Ele ainda defendeu que os envolvidos com o escândalo da Operação Lava Jato devem ser repreendidos. “A Petrobras é motivo de orgulho para este país. Estes 10 ou 100 que cometeram erros terão que ser punidos”

Impeachment

O político criticou os pedido de impeachment de Dilma. “Não acredito em impeachment. A realidade é outra. Eu perdi três eleições e nunca xinguei ninguém. Como dizia o Brizola, vou para casa para lamber as minhas feridas. A oposição precisa de parar de resmungar”, completou.

 

 

Redação do Jornal Nova Imprensa Com O Tempo Online e Hoje em Dia

Imprimir
Comentários